Alvirrubros e rubro-negros se enfrentaram em janeiro
Alvirrubros e rubro-negros se enfrentaram em janeiroFoto: Paullo Allmeida/Arquivo Folha

O último título em que o Náutico ganhou diante do Sport foi em 1968. Desde 1975, os rubro-negros têm vencido todas as decisões perante os alvirrubros. Tudo isso é passado. O Timbu é o atual campeão pernambucano, carrega 19 jogos de invencibilidade em 2019, sendo nove deles no torneio. O Leão vem de cinco vitórias seguidas, com média acima de três gols por jogo nesse período. Isso é o presente. Neste domingo, às 16h, nos Aflitos, os clubes duelarão pela primeira partida que vale o troféu do Estadual. O jogo da volta será no dia 21, na Ilha do Retiro. Quem levar a melhor nos 180 minutos sairá com a glória. Isso é o futuro, tempo com desfecho desconhecido e que começa a ser revelado assim que a bola rolar na final. Um Clássico dos Clássicos com rivalidade atemporal.

Retorno, ausência e indefinição. Tudo ao mesmo tempo. Sem revelar a escalação alvirrubra, o técnico Márcio Goiano deu algumas pistas do possível time titular. Duas situações estão confirmadas. Primeiro, a volta do atacante Robinho. Recuperado de uma lesão no joelho direito que o tirou dos gramados nos dois confrontos passados, perante Afogados e Ceará, o prata da casa está à disposição do treinador. Com isso, Jorge Henrique deve ficar no banco de reservas. Em compensação, o zagueiro Sueliton não se recuperou totalmente de um edema ósseo no joelho esquerdo e desfalca o Timbu. Diego Silva e Camutanga formarão a dupla de zaga. No meio-campo, a equipe pode ter a entrada de Maylson na vaga de Danilo Pires. Outra possibilidade é a volta de Wallace Pernambucano, artilheiro de 2019, com oito gols, ao posto de centroavante. A briga pela posição é com Odilávio.

No clássico, o Náutico também terá vários jogadores que nunca participaram de uma decisão de Estadual. Casos do lateral-direito Hereda e do atacante Thiago, que subiram recentemente ao profissional. Dupla que tem a confiança do técnico para o Clássico dos Clássicos. “Eles entraram em momentos importantes, tiveram a responsabilidade de enfrentar grandes equipes e conseguiram os resultados, com personalidade e atitude”, apontou.

Na Ilha do Retiro, juventude e experiência andam lado a lado, como é o caso do quarteto mortal do ataque. De um lado, Ezequiel, 21 anos, e Guilherme, 23 anos. Na ala dos mais "cascudos", Hernane Brocador, 33 anos, e Luan, 30 anos. Para o treinador Guto Ferreira, quem entender que a decisão não é apenas num jogo único terá maior chance de levantar a taça. Fazendo mistério sobre a escalação, o comandante leonino também não quis dar detalhes sobre o que estudou do adversário. "O Náutico vive um bom momento. Eles sabem o que temos de forte e nós sabemos o que eles tem também", limitou-se a dizer Guto Ferreira.

Segurança

A Polícia Militar de Pernambuco lançará um efetivo de 490 profissionais que atuarão na segurança dos torcedores no Clássico dos Clássicos. Serão 156 PMs na área interna e 334 na externa.

Leia também:
Dirigente revela sondagens por pratas da casa do Náutico
Goiano confirma retorno de Robinho e cita uma dúvida para o clássico
Por chuvas, Sport cancela treino que seria aberto à torcida
Estrategista, Guto esconde jogo no Sport. Confira trechos

veja também

comentários

comece o dia bem informado: