Carlos Lima, o torcedor azarado
Carlos Lima, o torcedor azaradoFoto: Arthur de Souza/Folha de Pernambuco

Na noite deste domingo, Carlos Magno de Lima, de 30 anos, é provavelmente o homem mais azarado do Recife. Ele partiu de Salgueiro, no Sertão, onde mora e trabalha como vendedor autônomo, às 6h. Foi em direção à Capital, para assistir à final do Pernambucano. É alvirrubro “doente”.

O ônibus parou em Caruaru, no Agreste, e seguiu. Até Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata, quando o pneu estourou. Precisou esperar outro ônibus chegar para realocar os passageiros. “O trânsito estava muito lento por causa da volta para casa depois do feriadão da semana santa. Aqui na Capital também. Quando cheguei no TIP, tive que pagar R$ 40 a um mototáxi para me trazer até à Ilha do Retiro. Mas não me deixaram entrar, porque já estava no segundo tempo”, relatou o alvirrubro, desesperado.

Leia também:
Sport vence Náutico nos pênaltis e fatura 42º Estadual
Goleiro Bruno pede desculpas após derrota nos pênaltis 

“Agora vou voltar para o TIP e começar a tentar voltar para casa”, contou o torcedor azarado, que ainda precisou ouvir a festa do time adversário, que venceu o jogo. A camisa do time ficou por baixo de uma polo. Salgueiro fica a mais de 500km do Recife.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: