Jorge Henrique, atacante do Náutico
Jorge Henrique, atacante do NáuticoFoto: Léo Lemos/Náutico

Ao ser anunciado como reforço do Náutico, o atacante Jorge Henrique sabia que em algum momento haveria uma inevitável comparação com o centroavante Ortigoza, craque da equipe no ano passado. Os estilos são diferentes, mas ambos chegaram ao clube com a alcunha de principal contratação da temporada. O “gringo” fez jus à expectativa colocada em si. Em 26 jogos, marcou 13 gols - um deles na final do Campeonato Pernambucano. Foi decisivo em várias partidas, embora sua ajuda não tenha sido suficiente para elevar o Timbu de divisão. Já Jorge não segue o mesmo caminho. Lesões, dificuldades em novo posicionamento e aparições tímidas nos momentos decisivos marcaram o primeiro semestre. Na comparação, a camisa 30 do paraguaio ainda tem um peso maior que a 23 do antigo prata da casa. Mudar esse cenário é a missão do novo comandante alvirrubro.

Em apenas dois jogos treinando o Náutico, o técnico Gilmar Dal Pozzo já conseguiu recuperar o bom futebol de alguns atletas que andavam esquecidos no elenco, caso dos atacantes Rafael Oliveira, Tarcísio Martins e Matheus Carvalho. O desejo atual é que o mesmo seja feito com Jorge Henrique.

No momento, o atleta de 37 anos está se recuperando de uma lesão na panturrilha. Vê-lo no departamento médico, diga-se, é algo bastante comum. Além do problema atual, ele já sofreu contusões no joelho e coxa. Nos 31 compromissos do Náutico na temporada, Jorge Henrique esteve em campo apenas em 16. Não participou de jogos importantes, como no duelo da volta da final do Pernambucano, contra o Sport, na Ilha do Retiro, e na semifinal da Copa do Nordeste, perante o Botafogo/PB, no Almeidão.

Quando esteve à disposição, Jorge Henrique pouco fez. Seja mais recuado no meio-campo ou atuando próximo dos atacantes, o atleta ficou devendo. Em alguns jogos, ainda com Márcio Goiano como treinador, ele integrou o banco de reservas. Até mesmo nas partidas que balançou as redes, com um gol cada ante o Santa Cruz em partidas pelo Pernambucano e Copa do Brasil, o atacante foi peça apagada.

Ainda não há uma data para Jorge Henrique retornar aos gramados, mas o técnico Gilmar Dal Pozzo já se adiantou ao dizer que conta com o atleta para a reta decisiva da temporada. Assim como o Náutico confiou em Ortigoza no ano passado. Os alvirrubros torcem para que o baixinho recupere a boa forma e seja tão decisivo quanto o paraguaio. Com uma diferença, porém: desta vez, comemorando o acesso à Série B.

Leia também:
Náutico vence o Treze e entra no G4 da Série C
Fichas alvirrubras depositadas em Jorge Henrique para decisão

veja também

comentários

comece o dia bem informado: