Juventude x Náutico, no Alfredo Jaconi
Juventude x Náutico, no Alfredo JaconiFoto: Léo Lemos/Náutico

O duelo da volta das semifinais da Série C do Campeonato Brasileiro 2019, entre Náutico e Juventude, nos Aflitos, não será mais no domingo. O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) entrou com uma ação judicial para alterar a data do confronto por conta de um pedido da Polícia Militar, que alegou dificuldade em realizar a segurança do jogo do Timbu e do outro evento de grande porte que terá no Recife, o show do cantor Bom Jovi, às 20h30, no Arruda. A partida entre pernambucanos e gaúchos permanecerá no Eládio de Barros Carvalho. De acordo com a CBF, o embate será na segunda, às 20h.

De acordo com a nota publicada pelo MPPE, “o contingente da Polícia Militar é insuficiente para um adequada garantia do direito à segurança. Portanto, não há como manter a realização dos dois eventos no dia 22 de setembro”. O Ministério informou que a realização do show foi comunicada às autoridades em data antecedente à partida do Náutico, enquanto o clube descumpriu o artigo 14 do Estatuto do Torcedor no que se refere ao “dever de comunicar à autoridade policial a realização do jogo”. De acordo com a PM, a expectativa de público para o show de Bon Jovi é de aproximadamente 40 mil pessoas.

Segundo parcial divulgada na noite desta última quinta, mais de cinco mil ingressos foram vendidos para o confronto que vale vaga na final da Série C. O Náutico perdeu o jogo de ida por 2x1, no Alfredo Jaconi, e precisa ganhar por no mínimo dois tentos de diferença para avançar de fase. Um triunfo simples levará a decisão para as penalidades. Qualquer outro resultado garante classificação para os gaúchos.

Confira a nota:

O juiz de Direito Flávio Augusto Fontes de Lima, do Juizado Especial Cível e das Relações de Consumo e Criminal do Torcedor da Capital, concedeu tutela provisória de urgência ao pedido do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) para que fosse adiado o jogo entre Náutico e Juventude, que estava programado para o próximo domingo (22). Na mesma data, também será realizado o show da banda Bon Jovi.

A medida extrema da judicialização só ocorreu após frustrada a tentativa de acordo promovida na manhã da quarta-feira (18) pelo promotor de Justiça do Torcedor em exercício, Alfredo Pinheiro, quando recebeu representantes da Polícia Militar de Pernambuco (PMPE) e do Clube Náutico Capibaribe. Embora tenham sido convidados, não compareceram representantes da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), nem da Federação Pernambucana de Futebol (FPF).

“Considero que o contingente da Polícia Militar é insuficiente para uma adequada garantia do direito à segurança. E nada é mais importante que a incolumidade física do cidadão. Portanto, não há como manter a realização dos dois eventos no dia 22 de setembro”, informou o juiz, na decisão.

Ainda segundo o documento, a comunicação do show teria sido realizada em data antecedente à do jogo de futebol, enquanto que o Náutico descumpriu o artigo 14, Inciso I, da Lei 10.671/03 (Estatuto do Torcedor), no que se refere ao dever de comunicar à autoridade policial a realização do jogo.

O Ministério Público Estadual, através da Promotoria de Justiça do Torcedor, propôs Ação Civil Pública (ACP) com pedido de tutela de urgência para adiar a partida pelo Campeonato Brasileiro da Série C, entre Náutico x Juventude (RS), após o comandante geral da PMPE solicitar a intervenção, visto que na mesma data e horário estavam previstos dois eventos: a partida de futebol no estádio dos Aflitos e o show musical, no estádio do Arruda, com previsão de público de cerca de 15.000 e 40.000 pessoas, respectivamente.

Leia também:
Contra Juventude, Náutico tenta quebrar tabu que já dura cinco anos
Jiménez ressalta importância de Jean Carlos no meio-campo

veja também

comentários

comece o dia bem informado: