Náutico comemora gol marcado
Náutico comemora gol marcadoFoto: Léo Lemos/Náutico

Acesso e título nacional conquistados e festa na recepção aos campeões da Série C. Resumo feliz da reta final de 2019 para o Náutico. Mas já tem alvirrubro de olho em 2020. O técnico Gilmar Dal Pozzo permanecerá no comando do clube, que confirmou também as renovações do meia Jean Carlos e do atacante Matheus Carvalho para a Série B. O planejamento para a temporada seguinte começou e o Timbu quer manter 70% do atual grupo. A Folha de Pernambuco analisou o elenco pernambucano, destacando quem mais pode ficar ou sair.

Devem ficar

Alguns nomes são tratados como prioridade no processo de renovação. São eles o goleiro Jefferson, o lateral-direito Hereda, os zagueiros Diego Silva Camutanga, o lateral-esquerdo Willian Simões, os volantes Jhonnatan e Jiménez, além do atacante Álvaro. Camutanga, que se recupera de uma lesão no joelho direito, perderá o início de semestre, ficando à disposição somente na Série B. Sobre os demais, o maior risco de um desfecho negativo quanto à permanência é Hereda, prata da casa que se destacou em 2019 e chamou atenção no mercado. Jefferson foi destaque nas penalidades contra Paysandu (quartas de final) e Juventude (semifinal), se consolidando como um dos protagonista do título. Na frente, Álvaro ganhou moral ao ser decisivo no mata-mata, terminando como artilheiro da Série C, com seis gols.

Nem lá, nem cá 

Nem unanimidade na renovação, tampouco descartados por completo. Alguns atletas estão na "zona intermediária" quando o assunto é a permanência para 2020. O goleiro Matheus Aurélio não disputou um jogo sequer pelo Timbu, mas a pouca idade (20 anos) pode render uma chance de ao menos integrar o elenco. Capitão do Náutico em 2019, Josa não terminou a temporada na melhor fase, mas tem a seu favor a experiência. Assim como o meia Maylson, que passou a maior parte do ano no departamento médico. O lateral-esquerdo Erick Daltro teve poucas oportunidades, mas agradou Dal Pozzo e pode permanecer como opção no banco para Willian.

Danilo Pires é um atleta que sabe fazer múltiplas funções no meio e tem o lado polivalente como trunfo para convencer a diretoria. Na frente, as incógnitas são Wallace Pernambucano, Jorge Henrique e Paulinho. O primeiro começou o ano como titular e goleador, mas caiu de rendimento na fase decisiva. Já o segundo ficou fora desde junho dos gramados por conta de uma lesão no tendão de Aquiles. Por fim, Paulinho veio como reforço de peso para o mata-mata do nacional, mas não conseguiu jogar por conta de uma contusão na coxa. Sua manutenção no elenco passa por um voto de confiança dos dirigentes em sua condição física.

Não devem ficar

Alguns nomes dificilmente permanecem para 2020. São eles o goleiro Luiz Carlos, o lateral-direito André Krobel, o zagueiro Fernando Lombardi e os atacantes Neto Pessoa e Rafael Oliveira. Outro que não deve continuar é Thiago, mas diferente do grupo citado anteriormente, sua saída não seria por conta do baixo rendimento, mas sim pelo assédio de outros clubes. O atacante prata da casa foi um dos destaques no primeiro semestre e só não continuou no time titular por conta de um edema no tornozelo direito. A tendência é que seja negociado.

Leia também:
Náutico renova com técnico Gilmar Dal Pozzo
Comemoração do Náutico invade a madrugada

veja também

comentários

comece o dia bem informado: