Aflitos foi a arma do Náutico na decisão
Aflitos foi a arma do Náutico na decisãoFoto: Léo Malafaia/Folha de Pernambuco

A invasão da torcida do Náutico no gramado dos Aflitos, no jogo contra o Paysandu, pelas quartas de final da Série C, será julgada nesta sexta (11), às 10h, no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). O clube foi acusado de infringir o artigo 213, incisos II e III do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), por "invasão do campo ou local da disputa do evento desportivo" e "lançamento de objetos no campo ou local da disputa". O Timbu pode perder até 10 mandos de campo e sofrer multa de até R$ 100 mil.

A invasão da torcida no gramado aconteceu após o Náutico eliminar o Paysandu no primeiro mata-mata da Série C, conseguindo o acesso à Série B. Os pernambucanos, inclusive, correram o risco inicialmente de ter o estádio dos Aflitos interditado para a partida de ida da final do torneio, contra o Sampaio Corrêa. Os maranhenses entraram com uma ação no STJD alegando que o local não oferecia a segurança necessária para o evento, mas a justiça negou o pedido do Tubarão.

O STJD também julgará os zagueiros Diego Silva, do Náutico, e Perema, do Paysandu, expulsos na partida. Os defensores foram acusados de infringir os artigos 250§1º inciso II e 258 do CBJD, que apontam a pena por "impedir de qualquer forma, em contrariedade às regras de disputa do jogo, uma oportunidade clara de gol, pontuação ou equivalente" e "desrespeitar os membros da equipe de arbitragem, ou reclamar desrespeitosamente contra suas decisões". A dupla pode pegar até novos jogos de gancho.

Leia também:
Eleições no Náutico serão dia 8 de dezembro
Náutico: Quem fica e quem sai para 2020?

veja também

comentários

comece o dia bem informado: