Gilmar Dal Pozzo, técnico do Náutico
Gilmar Dal Pozzo, técnico do NáuticoFoto: Rafael Furtado/Folha de Pernambuco

Nesta quarta, dia 13 de maio, o técnico Gilmar Dal Pozzo completa um ano à frente do Náutico. Período marcado por um acesso emocionante à Série B, o inédito título (para treinador e clube) da Série C 2019 e com páginas em branco para serem escritas após o retorno dos campeonatos, paralisados por conta da pandemia do novo coronavírus. Relembrando o período no Timbu, Dal Pozzo citou os momentos mais marcantes, a relação com a torcida e as metas para o futuro.

"Satisfação e orgulho"

Considerando o futebol brasileiro, um técnico permanecer um ano em um clube é motivo de satisfação e orgulho. Estou feliz com meu trabalho e principalmente pela longevidade. Quando Diógenes (vice-presidente) me ligou, ele me falou dos desafios. No primeiro jogo, nós vencemos por 2x0 o Campinense, garantindo o calendário da Copa do Nordeste de 2020. Fizemos uma grande partida e alcançamos esse objetivo. Depois veio o acesso à Série B e, em seguida, o título brasileiro (Série C), que faltava ao clube e a mim. Eu estava há 30 anos no futebol sem uma conquista de brasileiro. Estava perseguindo isso. Pela competência de todos e pela boa gestão do clube, conquistamos o título.

Momentos marcantes

São vários momentos marcantes. O principal deles foi no jogo do Paysandu, do acesso. Pela dramaticidade, por tudo que aconteceu, essa talvez tenha sido a partida marcante da minha trajetória. Jogo que não vamos esquecer. Estávamos perdendo por 2x0, mas buscamos o resultado com muita luta e persistência, caractéristica do clube e da equipe. Vencemos nos pênaltis e, em seguida, teve a invasão do torcedor, que ficará guardada na minha memória. Teve depois a partida do Sampaio, em que conquistamos o título brasileiro.

Relação com o Náutico

Gosto muito do clube. Sinto prazer de ser o comandante dessa equipe. Por isso falo muito de gratidão. Tenho identificação com diretoria e torcedor. Essa conexão é favorável para a busca dos objetivos. Estou feliz no Náutico. É um clube de tradição no futebol brasileiro e poder fazer parte da história é motivo de muito orgulho.

Cenário em 2020

Neste ano, passamos do Toledo na primeira fase da Copa do Brasil e depois fomos eliminados nos pênaltis para o Botafogo. Um jogo difícil, talvez o nosso melhor jogo nos Aflitos. Na Copa do Nordeste, nós estamos na fase de classificação, da mesma forma do Campeonato Pernambucano. Estamos vivos nessas competições. Quando voltarmos, nós poderemos dar sequência ao trabalho

Futuro

Nosso plano, da comissão, diretoria e atletas, é voltar em uma condição boa, principalmente no lado mental. Não queremos ter sequelas dessa pandemia. Estamos conversando com os atletas, para voltarmos mentalmente fortes. Fisicamente, eles estão sendo monitorados. Estamos esperando o protocolo da CBF para seguirmos. Ainda é um cenário que não sabemos como vai ser. Estamos na expectativa. O importante é voltar com saúde e segurança, para fazermos um belo trabalho, levando alegria ao nosso torcedor, tendo prazer de ver um jogo de futebol. Esse é o nosso desejo.

Leia também:
Dirigente não descarta mais reforços no Náutico
Dal Pozzo celebra volta de Thiago ao Náutico

veja também

comentários

comece o dia bem informado: