Givanildo Oliveira
Givanildo OliveiraFoto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

Por conta de uma dívida trabalhista avaliada em mais de R$ 500 mil com o técnico Givanildo Oliveira, o Náutico foi intimidado pela 5ª Vara do Trabalho do Recife a leiloar o prédio utilizado como garagem pelo departamento de remo, localizado no bairro de Santo Amaro, no Recife. O patrimônio alvirrubro em questão está estimado em mais de R$ 3 milhões.

"Recebemos hoje a intimação da 5ª Vara comunicando o leilão (em modo online) em primeira praça no dia 20 de julho e, caso não tenha arrematante, no dia 11 de agosto", informou o vice-presidente jurídico do clube, Bruno Becker. "Ainda não houve contato entre as partes. Vamos trabalhar para suspender o leilão. Paralelo a isso, tentaremos um acordo que seja bom para ambas as partes. No caso do Náutico, algo que caiba dentro do orçamento", completou.

A ação é referente a uma cobrança do treinador por um débito de 2016, durante sua passagem no comando clube na Série B, envolvendo dívidas de salários atrasados, indenizações por não recolhimento do FGTS e férias proporcionais.

Leia também:
Ex-Náutico, zagueiro Flávio Ramos retorna aos treinos na Turquia
Náutico terá redução de 30% em parcelas de cota de TV

veja também

comentários

comece o dia bem informado: