Nelsinho não gostou do 'treino' do Sport no clássico

Técnico enumera diversos erros do time na derrota para o Náutico, principalmente a falta de movimentação

Nelsinho Baptista, técnico do SportNelsinho Baptista, técnico do Sport - Foto: Paullo Almeida/Folha de Pernambuco

A frustração do técnico Nelsinho Baptista, após a goleada sofrida para o Náutico, na última quarta-feira (24), estava evidente em seu tom de voz. De fato, difícil aceitar um placar de 3x0 em uma partida onde o favoritismo total era rubro-negro. Mesmo assim, o comandante soube enumerar todos os defeitos apresentados pela sua equipe. E não foram poucos. "Faltou volúpia, determinação, movimentação... Faltou penetração, profundidade... Faltou tudo", disse. Mas nenhuma outra frase resumiu tão bem a postura leonina em campo quanto "entramos em ritmo de treino. Eles entraram em ritmo de jogo". Apesar de a crítica ter sido direcionada a todo o time, foi possível observar que peças destoaram bastante na partida. E esses erros individuais também contribuíram para a surpreendente vitória alvirrubra.

A expectativa criada antes deste Clássico dos Clássicos apontava para uma vitória tranquila do Sport. Contribuia para isso o número de problemas para a formação da equipe Timbu, que entrou em campo sem atacantes, por exemplo. O Leão também teve suas dores de cabeça. Não pode contar com três atletas, possívelmente, titulares. André e Rithely nem entraram em campo, já Raul Prata foi acionado no segundo tempo. No entanto, o peso da derrota não pode ser colocado em cima dessas ausências, mas sim sobre a atitude daqueles que estiveram no gramado.

Um dos jogadores mais criticados pela torcida foi o volante Pedro Castro. Substituído no segundo tempo do jogo, ele foi o responsável pelo erro individual que fez o meia Wallace Pernambucano sair frente a frente com o goleiro Magrão no segundo gol da partida. Apesar disso, Nelsinho Baptista fez questão de justificar o atual momento de seu atleta após o duelo.“Nestes três jogos, ele demonstrou um espírito de equipe. Ele tem errado muitos passes, mas uma coisa que as pessoas esquecem, é que ele é um dos que mais pegam na bola. É um dos que mais se doam para o time. Os erros acontecem porque ele sempre quer ter a bola. Claro que a gente sabe que ele ainda não rendeu o que a gente esperava”, comentou Nelsinho. Outros atletas que pouco produziram no duelo foi a dupla de ataque Rogério e Gabriel, além do meia Thomás. Para falar a verdade, a inoperância ofensiva não esteve reservada apenas a este jogo contra o Náutico.

Leia também:
Magrão afirma que "favoritismo" deve ficar fora de campo 
Nelsinho: "Estávamos treinando. Eles, jogando"

Assim como no jogo contra o Flamengo de Arcoverde, pela segunda rodada do Campeonato Pernambucano, quando o Sport precisou criar ofensivamente, acabou esbarrando em suas próprias limitações. Resultado: muitas jogadas laterais, e cruzamentos, além das tradicionais ligações diretas que, quase sempre, beneficiam os marcadores adversários. Ao que parece, Nelsinho tem formado um time para saber se defender, e vencer jogos no contra-ataque - estratégia até aceitável quando se disputa uma Série A do Campeonato Brasileiro. Mas é necessário também ter como opção saber atuar no papel de protagonista. Por ser início de temporada, é possível dar crédito à ausência desta postura. Mas o sinal de alerta precisa ser ligado o quanto antes. E a goleada sofrida não pode passar em branco, como um resultado construído apenas pela eficiência adversária. Mas sim, pela atual ineficiência rubro-negra. O próximo jogo do Sport pelo Estadual será segunda-feira, contra o Pesqueira, na Ilha do Retiro.

Vermelho e Preto

O Sport volta a realizar o Baile Vermelho e Preto, nesta sexta-feira (26), a partir das 20h, na sede social do clube. O evento embalou o Carnaval rubro-negro e faz parte da memória afetiva de todo rubro-negro. Os torcedores podem "cair no passo" e comemorar a chegada carnavalesca no Salão Nobre da Ilha do Retiro, ao som da tradicional Treme Terra, de bloco lírico e maracatu, além do cantor Almir Rouche e das bandas Patusco e Sassarico. O ingresso para a folia custa R$20 para sócios, R$30 para não-sócios e mesas serão vendidas por R$100. A grande homenageada da edição deste ano do baile é a ilustre torcedora Dona Maria. 

Veja também

O adeus de uma lenda: Anderson Silva se despede do UFC neste sábado
UFC

O adeus de uma lenda: Anderson Silva se despede do UFC neste sábado

Com um pé na segunda fase, Santa Cruz visita o abalado Imperatriz/MA
Série C

Com um pé na segunda fase, Santa Cruz visita o abalado Imperatriz/MA