No Náutico, uso da base é o mote de 2017

Timbu coloca a garotada em campo e vem sendo recompensado com bom desempenho dos pratas da casa

ErickErick - Foto: Anderson Stevens

 

Altos e baixos ainda marcam o começo de temporada do Náutico. A chegada de Milton Cruz certamente trouxe uma nova cara ao time e promoveu uma melhor fase do que aquela vivida com Dado Cavalcanti em seus últimos jogos. Mas, independente do comandante, o 2017 alvirrubro vem sendo marcado pela constante utilização da base, com a presença de pratas da casa em todos os 15 jogos do ano.
Ainda não há uma predominância de atletas formados no clube dentro do elenco, e mesmo assim estes vão se consolidando como peças confiáveis para suprir a ausência de um jogador ou até mesmo assumir a condição de titular. É o caso de Manoel, que apareceu como um “tapa buraco” para a lateral esquerda, e hoje, mesmo depois da chegada do experiente Giovanni, se consolidou no setor.

Do outro lado, David também ganha espaço depois da lesão de Joazi, outro nome formado no CT Wilson Campos, e já acumula mais de 600 minutos em campo depois de oito aparições. Com atuações consistentes, o lateral-direito agradou o atual técnico e vem conquistando a torcida alvirrubra.

Mas é do meio para frente que se percebe o maior contingente de atletas que subiram este ano para o profissional. É certo dizer que a Copa São Paulo de Futebol Júnior revelou nomes que se tornaram úteis ao elenco, e o principal deles até aqui é o atacante Érick. A jovem promessa acumula seis gols marcados em 14 aparições, o maior número de partidas entre os novatos.

Os 962 minutos jogados sob a tutela dos dois treinadores têm deixado o atleta cada vez mais à vontade para explorar a movimentação ofensiva.

 

Veja também

Kevyn testa positivo para Covid-19 e desfalca Náutico
Futebol

Kevyn testa positivo para Covid-19 e desfalca Náutico

Casagrande critica omissão da CBF e Bolsonaro: 'Governo da morte, não da vida'
Opinião

Casagrande critica omissão da CBF e Bolsonaro: 'Governo da morte, não da vida'