A-A+

No Peru, Guerrero diz que queda de liminar não é justa

Guerrero foi suspenso por 14 meses após ser flagrado em exame antidoping no jogo Argentina e Peru, pelas eliminatórias

Guerrero segue impedido de voltar a atuarGuerrero segue impedido de voltar a atuar - Foto: PABLO PORCIUNCULA / AFP

Paolo Guerrero falou pela primeira vez após ter suspensão por doping reativada. Nesta sexta-feira (24), o centroavante desembarcou em Lima e disse que a retomada da pena não é justa. Agora jogador do Internacional, o peruano não detalhou quando voltará ao Brasil, mas afirmou que continuará lutando para provar inocência.

Aos 34 anos, Guerrero se preparava para estrear pelo Inter diante do Palmeiras, domingo (26).

O centroavante confirmou que houve surpresa com a decisão da Justiça suíça.

"Sim (impactado), sim Estava me preparando para o jogo com o Palmeiras e tudo. Mais uma vez me cortam as asas, mas vou continuar lutando pela minha inocência. Às vezes parece algo estranho, mas tomo como uma circunstancia da vida. Vou seguir lutando", disse o centroavante ao Canal N.

O Internacional foi comunicado da decisão somente nesta sexta, mas já se mobiliza para demonstrar apoio e suporte a Paolo Guerrero. O peruano foi contratado para reforçar o time no segundo turno do Campeonato Brasileiro, mas assinou contrato de três anos. O clube gaúcho tem a opção de estender o vínculo por mais oito meses, em forma de compensação.

Leia também:
Guerrero tem liminar revogada e não joga mais em 2018
Apresentado, Guerrero se diz ansioso por estrear no Inter


"Vou fazer coisas aqui no Peru e logo vou ver (quando retorna ao Brasil)", comentou. "Vou lutar, não posso aceitar um castigo que não é justo", acrescentou Guerrero.

Guerrero foi suspenso por 14 meses após ser flagrado em exame antidoping no jogo Argentina e Peru, em novembro de 2017, pelas eliminatórias. Em maio, ele conseguiu liminar na Justiça comum da Suíça para disputar a Copa do Mundo.

Veja também

Em duelo de leões, Sport possui invencibilidade como mandante diante do Fortaleza
Sport

Em duelo de leões, Sport possui invencibilidade como mandante diante do Fortaleza

Lukaku, do Chelsea, se junta a Marcos Alonso para questionar o ato de se ajoelhar contra o racismo
FUTEBOL

Lukaku, do Chelsea, se junta a Marcos Alonso para questionar o ato de se ajoelhar contra o racismo