Futebol

No sufoco, Brasil vence Colômbia e é campeão da Copa América feminina pela oitava vez

Brasileiras encontraram dificuldades na partida, mas continuam dominando o futebol sul-americano

Brasileira levantaram a taça pela oitava vezBrasileira levantaram a taça pela oitava vez - Foto: Raul Arboleda / AFP

O Brasil venceu a Colômbia por 1x0 e se sagrou campeã da Copa América Feminina pela oitava vez na história. As brasileiras tiveram dificuldades contra as anfitriãs, que contaram com o Estádio Alfonso López, em Bucaramanga, lotado e apoiando durante os 90 minutos.

As duas equipes já entraram em campo com a classificação garantida para a Copa do Mundo 2023 (junto com a Argentina, que venceu o Paraguai na disputa de 3º lugar) e para as Olímpiadas 2024.

Logo no início da partida um susto para o Brasil. Aos seis minutos a volante Angelina sentiu o joelho esquerdo após uma dividida, e teve que deixar a partida de maca e chorando bastante. Para seu lugar entrou Duda.

A partir daí o que se viu foi uma Colômbia pressionando muito e um Brasil com dificuldades para sair jogando, o que resultava em passes errados. Aos 13 minutos, Linda Caicedo invadiu a grande área, cortou e bateu por cima do gol. Com mais volume de jogo, as colombianas chegaram com Catalina Usme aos 20, em cobrança de falta, e aos 21, em um chute de lado.

Com dificuldade criativa, o Brasil precisou da individualidade de Debinha para levar perigo. Aos 36, ela tabelou no meio, invadiu a área e foi derrubada por Vanegas. Pênalti para o Brasil. A própria Debinha no canto direito, cobrou deslocando a goleira Catalina Pérez. 1x0 Brasil, o quinto gol de Debinha na competição, artilheira da seleção junto com Adriana.

Segundo tempo truncado

O início do segundo tempo foi diferente da tônica da primeira etapa, o Brasil teve três oportunidades de abrir o placar. A primeira com Antônia, aos 3, com um chute de canhota que a goleira Pérez espalmou para escanteio. Na cobrança, Rafaelle cabeceia, a bola bate na zaga e ela pega o rebote, mas a bola desvia novamente na zaga colombiana. A terceira foi novamente com Debinha, ela recebeu lançamento nas costas da zaga, invadiu a área e tocou na saída de Pérez, que fez uma excelente defesa.

Após o bom começo brasileiro, o jogo ficou bastante truncado. As colombianas chegaram com força nas divididas e ambos os times novamente tiveram dificuldades de trocar passe. Com a partida morna, as chances que surgiam levavam pouco perigo as goleiras. Somente aos 30 minutos, Linda Caicedo recebeu lançamento, ajeitou e bateu colocado levando perigo ao gol do Brasil.

O tempo foi passando e a Colômbia encontrava dificuldades para atacar. Aos 43, Usme chutou de fora da área e obrigou Lorena a espalmar para escanteio. Mas esse foi o último lance de perigo das colombianas, que ainda viram o Brasil atacar com Geyse, que fez ótima jogada individual pela direita e cruzou rasteiro para Luana. Livre de marcação, ela ajeitou e mandou pra fora. Apesar do gol perdido, a festa foi das brasileiras que ouviram o apito final logo depois.

Este foi o oitavo título do Brasil em nove edições de Copa América - apenas em 2006 as brasileiras perderam o título, sendo vice-campeãs para a Argentina. A seleção terminou o campeonato de maneira perfeita: seis jogos, seis vitórias, 20 gols marcados e nenhum sofrido. O título de Pia Sundhage também marcou a primeira vez que uma técnica venceu o torneio. 

Ficha Técnica

Colômbia 0
Catalina Pérez; Manuela Vanegas, Jorelyn Carabalí, Daniela Arias e Daniela Caracas; Lorena Bedoya (Gisela Robledo), Daniela Montoya, Linda Caicedo, Catalina Usme e Leicy Santos; Mayra Ramírez (Diana Ospina). Técnico: Nelson Abadía

Brasil 1
Lorena; Antônia, Tainara, Rafaelle e Tamires; Ary Borges (Gabi Portilho), Angelina (Duda) e Kerolin (Luana); Adriana, Bia Zaneratto (Geyse) e Debinha. Técnica: Pia Sundhage

Local: Estádio Alfonso López, Bucaramanga/COL
Árbitra: María Laura Fortunato/ARG
Asistentes: Mariana de Almeida/ARG e Daiana Milone/ARG
Árbitra de Vídeo (VAR): Zulma Quiñones/PAR
Gol: Debinha (pen.) aos 37 min. 1ºT.
Cartões Amarelo: Antônia, Tainara e Bia Zaneratto/BRA

Veja também

Rodrygo cita importância de conquistar Copa América e se diz honrado em vestir a 10 da seleção
Copa América

Rodrygo cita importância de conquistar Copa América e se diz honrado em vestir a 10 da seleção

Lukaku brilha, De Bruyne marca e Bélgica desencanta na Eurocopa com vitória sobre a Romênia
Futebol Internacional

Lukaku brilha, De Bruyne marca e Bélgica desencanta na Eurocopa com vitória sobre a Romênia

Newsletter