Novo doping russo em PyeongChang volta a expor o país

Após ter a participação nos Jogos defendida pelo presidente do COI, delegação registra dois usos de meldonium

Nadezhda Sergeeva foi piloto da dupla do bobsledNadezhda Sergeeva foi piloto da dupla do bobsled - Foto: Mark Ralston/AFP

A Rússia confirmou, nesta sexta-feira (23), o segundo caso de doping em sua delegação nos Jogos de Inverno. Desta vez, testes detectaram que a bobsledder Nadezhda Sergeeva usou a substância proibida meldonium, a mesma utilizada pelo russo Alexander Krushelnitski, flagrado no doping na competição e desqualificado no curling.

O teste da bobsledder deu positivo em 18 de fevereiro, cinco dias após exame anterior dar negativo. Sergeeva foi a 12ª colocada na competição disputada na Coreia do Sul. Ela nega ter utilizado o meldonium. Com a confirmação de mais um doping no elenco, a Rússia mancha mais uma vez sua reputação perante as demais delegações olímpicas.

No fim do ano passado, o Comitê Olímpico Internacional vetou a Rússia de participar com a bandeira do Comitê Russo, banindo parte do elenco russo por suspeita de doping. Nos Jogos em Pyongchang, os russos desfilaram com a bandeira olímpica.

Sharapova
Nos últimos anos, a Rússia protagonizou escândalos de doping em diversas modalidades, sobretudo no atletismo, que resultaram no veto do atletismo russo nos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro.

A utilização em larga escala de substâncias dopantes contava com a conivência de órgãos regulamentadores russos. A substância meldonium, presente no corpo de Nadezhda Sergeeva, também foi encontrada em exames com a tenista russa Maria Sharapova. No começo de 2016, Sharapova foi suspensa por 15 meses devido ao uso de meldonium.

Leia também:
Com doping confirmado, russos perdem bronze no curling
Japonês é o primeiro pego no doping na Olimpíada de Inverno
Terceiro caso de doping é anunciado em PyeongChang
Tribunal anula suspensão de 28 atletas russos por doping
Presidente do COI defende russos nos Jogos de Inverno

Estudos mostram que o meldonium tem como efeito no corpo a melhora da capacidade de produção de energia, melhora da recuperação física após desgaste. O medicamento é frequentemente utilizado para fins médicos, por exemplo, para tratar diferentes condições cardíacas, como a isquemia.

Foi listado pela Agência Mundial Antidoping (WADA) entre drogas proibidas em 1º de janeiro de 2016, depois evidências científicas mostrarem que a droga pode aumentar o desempenho atlético.

Veja também

Wawrinka vence Murray na primeira rodada de Roland Garros
Roland Garros

Wawrinka vence Murray na primeira rodada de Roland Garros

Aniversariante do dia, Simona Halep vence na abertura de Roland Garros
Roland Garros

Aniversariante do dia, Simona Halep vence na abertura de Roland Garros