O difícil recomeço da Chapecoense

Em reestruturação, equipe foi eliminada da Primeira Liga e ocupa posição modesta no Campeonato Catarinense

Mancini saiu do clube nesta terça-feira (4)Mancini saiu do clube nesta terça-feira (4) - Foto: Sirli Freitas/Chapecoense/Flickr

A Chapecoense tem encontrado dificuldades em 2017 para se reconstruir. Eliminada na fase de grupos da Primeira Liga e com uma posição modesta no Estadual, o clube tem um início de temporada sem grandes sucessos. Na tarde de ontem, as declarações feitas pelo meia Martinuccio em sua rede social, reclamando por novamente não ter sido relacionado pelo técnico Vágner Mancini, deixaram o clima mais pesado no Índio Condá. Os questionamentos quanto ao futuro da equipe já começaram a surgir, mas o otimismo ainda é predominante entre os torcedores.

Para este ano, os catarinenses trouxeram um total de 27 reforços, a maioria por empréstimo ou em negócios a custo zero. A diretoria agradeceu o apoio de times como o Palmeiras, que de fato dispôs parte de seu elenco à Chape, e o próprio Sport, que doou quase metade dos valores arrecadados em prol da reestruturação do escrete. Em atitudes louváveis, nomes como o do zagueiro Douglas Grolli, do lateral Apodi e do atacante Túlio de Melo, com passagens pelo "Verdão do Oeste", voltaram a Chapecó para ajudar o clube.

Entretanto, um reforço questionável foi o de Vágner Mancini. O treinador foi anunciado ainda em dezembro do ano passado, pouco tempo depois de Levir Culpi ter se oferecido para treinar o time no primeiro trimestre desta temporada. Mesmo tendo deixado o Vitória em situação complicada na Série A de 2016, com um aproveitamento de 36% na 24º rodada, Mancini foi o escolhido pelos dirigentes por ter aceitado um contrato até o final do ano, atendendo as expectativas dos cartolas.

Sob a tutela do novo comandante e com um elenco que ainda busca adaptação e entrosamento, o início de ano não tem sido dos melhores. Ao todo foram 11 jogos realizados, com 4 vitórias, 6 empates e 3 derrotas, um aproveitamento de 54%. Os números são satisfatórios para um começo de trabalho, mas o desempenho nem tanto. Este aproveitamento já custou a eliminação da Primeira Liga, em um dos grupos mais difíceis do certame, com Cruzeiro e Atlético/MG, e um 3º lugar no primeiro turno do Campeonato Catarinense, atrás até mesmo do Brusque.

Em entrevista à Folha de Pernambuco, o radialista Edson Florão, repórter esportivo da Rádio Super Condá, de Chapecó, é realista quanto aos objetivos da Chape nesta temporada, mas crê na reestruturação com muito otimismo.

"Para nós, o objetivo do time é a permanência na Série A. A Chapecoense vive uma reconstrução. Começou muito bem o Estadual mas oscilou depois de duas derrotas seguidas e acabou ficando para trás em relação ao Avaí, que também é uma equipe de primeira divisão, e ao Brusque, que deu muito trabalho ao Corinthians na Copa do Brasil. Há um esboço de time, mas é necessário uma equipe. Enxergamos essa Chape com muito otimismo, e esse sentimento é compartilhado com a diretoria. O empate contra o Atlético/MG custou a eliminação da Primeira Liga, é verdade, mas a Chapecoense saiu perdendo por 2x0 e foi atrás do empate. É um elenco muito aguerrido e disposto", comentou Florão.

As expectativas também estão alta no grupo de jogadores, e o meia Martinuccio acabou causando um mal-estar nos bastidores. O atleta usou suas redes sociais para reclamar publicamente por mais uma vez não ter sido relacionado pelo novo comandante. "Muitos falam que estou sem vontade, e isso é mentira. Para tirar dúvidas e afirmações ruins sobre mim, estou 100%, não estou machucado. São escolhas destas grandes mudanças e eu tenho que respeitar", escreveu o jogador que ainda não começou uma partida sob o comando de Mancini.

Em resposta, o próprio Mancini explicou os motivos da pouca utilização do argentino. "Eu analiso o rendimento nos treinos. Não seria justo deixar algum jogador que acima no desempenho para favorecer outro. Os outros atletas estão acima dele, por isso estão sendo relacionados", completou o técnico.

Mesmo oscilando, a Chapecoense tem um 2017 de grandes desafios. A preparação do elenco para a Libertadores já começou ontem, visando o primeiro duelo da competição continental contra o Zulia-VEN, em Maracaibo, no próximo dia 07.

É na competição mais importante da América que o Índio Condá pretende retomar a confiança para seguir sua trajetória ascendente, tragicamente, interrompida.

Veja também

Alexandre Gallo será o novo técnico do Santa Cruz
Santa Cruz

Alexandre Gallo será o novo técnico do Santa Cruz

Após eliminação, Roberto de Jesus afirma que optou por 'time mais avançado' e explica alterações
Santa Cruz

Após eliminação, Roberto de Jesus afirma que optou por 'time mais avançado' e explica alterações