Ocupação de estádios na Rússia está abaixo dos 50%

A média de comparecimento às partidas no Campeonato Russo é de 12.872 espectadores por jogo

Estádio Lujniki, na RússiaEstádio Lujniki, na Rússia - Foto: Divulgação/Wikipedia

O Campeonato Russo nunca atraiu tanto público aos estádios nas últimas cinco temporadas como ocorre na atual, antes da Copa do Mundo. Ainda assim, a ocupação é de 46,5%, bem aquém das cinco principais ligas europeias. Na Itália, que detém a pior marca entre elas, chega a 60%.

Até a 22ª das 30 rodadas -a 23ª foi desmembrada por causa da eleição presidencial, ainda não foi finalizada e a 24ª está em andamento-, um total de 2.275.460 pessoas estiveram presentes nas 176 partidas já realizadas.

Leia também:
Presidente da Fifa confia em uso do VAR na Rússia
Estádio da abertura da Copa passa em teste

Isso representa média de 12.872 espectadores por jogo. Na Rússia, só se divulga o público total, sem distinção entre pagantes e não-pagantes. É um aumento significativo em relação à liga de 2016-2017, quando a média foi de 11.414 espectadores por jogo.

O responsável por impulsionar o número é o Zenit. A equipe de São Petersburgo leva uma média de 44.274 torcedores às suas partidas no Estádio Krestovski, moderníssima arena inaugurada no ano passado para a Copa das Confederações e que receberá a Copa do Mundo.

Na liga local, a capacidade liberada é de 56.196 espectadores, o que resulta numa ocupação de 78%, a maior do torneio. No Mundial, a carga de ingressos para cada jogo será de 67 mil bilhetes.

Na temporada 2016-2017, quando atuou no Estádio Petrovski, que tem capacidade para 21.405 torcedores, a média do Zenit foi bem inferior: 18.557 pessoas por jogo.

Em que pese ter agora um estádio ultramoderno, cuja construção custou cerca de US$ 841 milhões (R$ 2,8 bilhões), o preço dos ingressos contribui para a presença de público. Para algumas partidas, o bilhete mais barato custa 200 rublos (R$ 11).

Não à toa, dos 10 maiores públicos do torneio, o time responde por oito como mandante.

"O time mais popular do país é o Spartak, mas, com este estádio novo, o Zenit tem conseguido atrair muitas pessoas. O departamento comercial do clube está trabalhando muito bem na divulgação e promoções", afirma o jornalista Grigori Tellingater, do site russo Championat.com.

Segundo ele, o que também ajuda é a equipe ser a única grande de São Petersburgo. "O outro time da cidade, o Tosno, é bem pequeno e acabou de subir para a primeira divisão", diz.

Dos times citados por ele, o Spartak aparece com a segunda melhor média: 29.322 espectadores. Já o Tosno leva 5.959 espectadores.

Líder do campeonato com 49 pontos, o Lokomotiv tem baixa ocupação em seu estádio. Dono da terceira maior torcida de Moscou, atrás de Spartak e CSKA, o time atrai em média 11.921 torcedores por jogo, o que representa apenas 44% dos 27.320 assentos disponíveis.

Em jogos da Liga Europa, conseguiu atrair mais gente. Em duelo dos 16 avos de final contra o Nice (FRA), foram 18.104 para acompanhar a vitória por 1 a 0 em uma temperatura de -15ºC.

Nas oitavas de final, contra o Atlético de Madri (ESP), foram 22.041 torcedores mesmo em dia de muita neve e derrota por 3x0 na ida.

"Esses públicos me surpreenderam bastante. Mas como estamos fazendo boas campanhas em dois campeonatos, o torcedor tem vindo mais. Mas claro que muitas vezes o frio ainda afasta as pessoas do estádio. Ainda acho que o russo vê mais futebol pela televisão", disse o goleiro brasileiro naturalizado russo Guilherme Marinato, que defende o Lokomotiv há dez temporadas.

Dos 16 times, que disputam a liga, a pior média de ocupação pertence ao Rubin Kazan, que atua na Arena Kazan, um dos palcos da próxima Copa. São 8.817 torcedores para 45.379 assentos, o que corresponde a 19% de lotação.

"A Rússia precisa gostar mais de futebol, sem dúvida. É o esporte mais popular do país, mas as pessoas precisam ir mais aos estádios. Espero que as coisas mudem com a Copa do Mundo. Se isso não ajudar, não sei o que mais poderá ajudar os russos a gostar de futebol", declarou Telingater.

Para o Mundial, a expectativa é de casa cheia em todas as partidas do torneio. No momento, no site da Fifa só há bilhetes disponíveis para sete de 64 jogos.

REALIDADE BRASILEIRA
A quantidade de torcedores russos se assemelha à situação vivida no Brasil.

No Campeonato Brasileiro de 2013, o último antes da Copa do Mundo, a média de pagantes foi de 14.951. A ocupação, entretanto, foi bem inferior: somente 37%.
Já em 2014, ano do Mundial, o Brasileiro teve média de 16.556 pagantes, com a ocupação aumentando levemente, para 38%.

O campeonato de 2017 teve média de 15.975 pagantes e 41% de ocupação.

Veja também

Náutico confirma contratação do meia Marcos Vinícius
Futebol

Náutico confirma contratação do meia Marcos Vinícius

Defesa de Carol Solberg recorrerá de advertência por 'fora, Bolsonaro'
Manifestação

Defesa de Carol Solberg recorrerá de advertência por 'fora, Bolsonaro'