Onda online na rota do Pernambucano

Rebeldia de Atlético/PR e Coritiba acende sinal amarelo e clubes grandes do Recife já tratam do assunto

Toninho Monteiro diz que não há intenção de desafiar ninguém, apenas defender clubes Toninho Monteiro diz que não há intenção de desafiar ninguém, apenas defender clubes  - Foto: ANDERSON STEVENS\arquivo folha

 

Em Curitiba não houve futebol, domingo passado, mesmo com a dupla “Atletiba” disposta a jogar, com torcida na arquibancada e transmissão ao vivo para todo o Brasil.

Mas a atitude histórica dos rivais Atlético/PR e Coritiba abriu um precedente que deve ganhar adeptos em outras praças pelo País. Em Pernambuco, há dois meses, dirigentes de Santa Cruz, Náutico e Sport têm se reunido em encontros “informais” para tratar do assunto televisionamento. A promessa é atacar em bloco os dividendos que serão direcionados para a transmissão do Campeonato Pernambucano, a partir de 2019.

O atual contrato com a Rede Globo se encerra em 2018. Ontem, inclusive, houve uma reunião no Rio de Janeiro, entre os dirigentes do Trio de Ferro, a Globo e a CBF.
O caso é simples: Atlético/PR e Coritiba não aceitaram o valor proposto pela Globo para transmitir suas partidas no Campeonato Paranaense. Por conta disso, passaram a investir na transmissão de seus jogos nas redes sociais. Algo, inclusive, que ocorreu nas primeiras partidas daquele Estadual. No clássico do último domingo não houve jogo, no entanto. A Federação Paranaense de Futebol (FPF) não permitiu a transmissão pela internet alegando que os profissionais que seriam responsáveis pelo televisionamento não haviam feito credenciamento, 48h antes do confronto, como determina seu estatuto.

Por não aceitarem a decisão da entidade, os clubes decidiram deixar o campo da Arena da Baixada.

“Caso não esteja enganado, acredito que, de forma inédita, Santa Cruz, Sport e Náutico estão trabalhando em conjunto por um bem comum, também”, disse o vice-presidente tricolor, Constantino Júnior, que estava ao lado do vice-presidente de futebol alvirrubro, Toninho Monteiro, e o presidente rubro-negro, Arnaldo Barros, no Rio de Janeiro. “Não é de hoje que estamos discutindo a questão do televisionamento para 2019. Nossa ideia é negociar um contrato em conjunto, com valores que interessem aos três clubes. Algo bem superior ao que estamos submetidos no momento”, completou Tininho. “Os clubes são os protagonistas. E nos comportaremos como tais. Não pode existir federação acima das agremiações, nem qualquer rede de TV.”

Toninho Monteiro foi ainda mais claro com relação às reuniões. “A gente vem se reunindo há dois meses. Caladinhos (risos). Nos encontramos em restaurantes, sempre que possível. Não queremos desafiar ninguém, mas iremos lutar por nossos direitos.  O torcedor tem de estar em primeiro lugar”, falou o dirigente.
O diretor de futebol do Náutico, Eduardo Henriques, acredita que a ideia dos clubes paranaenses pode ser repetida em Pernambuco caso as equipes não tenham um avanço nas negociações envolvendo as verbas oriundas dos direitos de transmissão. “O mais importante é unir os três grandes da Capital. Isso que ocorreu no Paraná serve de exemplo para que os clubes possam sempre tentar melhores acordos e, se não houver avanço, tentar algo parecido (transmissão online)”, citou o dirigente.

Henriques ainda foi além, citando que a divisão dos valores recebidos na Série B do Campeonato Brasileiro também está longe do ideal. “Existe um critério na Série A que faz com que Corinthians e Flamengo recebam mais que os outros. Isso envolve audiência, torcida e pacotes de 'pay per view'. Mas se é assim lá, eles não deveriam utilizar o mesmo critério na Segunda Divisão? Com todo respeito aos outros times, mas o Náutico deve receber o mesmo que o Brasil de Pelotas? Nós vamos ganhar a mesma quantia que equipes menores”, disse Henriques. “No Rio de Janeiro, Madureira e Bangu receberam R$ 4 milhões para jogar o Estadual. Esse valor é o que ganhamos para jogar uma Série B”, lamentou.

A reportagem da Folha entrou em contato com o presidente Arnaldo Barros, mas o mesmo alegou que estava em reunião na CBF e que não podeira falar no momento.

Os demais dirigentes leoninos afirmaram que não gostariam de expor as suas opiniões, visto que se trata de um assunto que foge das quatro linhas.

 

Veja também

Santa prolonga contrato de trio para jogo contra o Itabaiana
Futebol

Santa prolonga contrato de trio para jogo contra o Itabaiana

Barça vence Rayo Vallecano de virada e vai às quartas da Copa do Rei
Futebol

Barça vence Rayo Vallecano de virada e vai às quartas da Copa do Rei