Tênis

Ons Jabeur vence Sabalenka e vai a sua segunda final de Wimbledon

Tunisiana enfrenta a checa, Marketa Vondrousova, no próximo sábado (15)

Ons Jabeur é a jogadora árabe com melhor classificação na história da WTAOns Jabeur é a jogadora árabe com melhor classificação na história da WTA - Foto: SEBASTIEN BOZON/AFP

A tenista tunisiana Ons Jabeur, que pretende se tornar a primeira mulher árabe e africana a vencer em Wimbledon, se classificou para sua segunda final do torneio ao derrotar a bielorrussa Aryna Sabalenka nesta quinta-feira (13).

Jabeur, de 28 anos e número 6 do mundo, conseguiu virar uma partida que parecia se encaminhar para uma derrota e venceu a segunda colocada do ranking mundial por 2 sets a 1, parciais de 6-7 (5/7), 6-4 e 6-3 em duas horas e 19 minutos. A tunisiana vai enfrentar na final a tcheca Marketa Vondrousova, que mais cedo eliminou a ucraniana Elina Svitolina.

"Marketa é uma grande, grande jogadora e já perdi para ela duas vezes este ano, então vou buscar uma revanche, porque parece estar funcionando", brincou a carismática tunisiana visivelmente emocionada.

Jabeur, que é uma estrela na Tunísia, já sonhava em 2022 se tornar a primeira mulher de um país árabe e africano a ser coroada em Wimbledon, mas seu sonho acabou sendo frustrado pela jovem Elena Rybakina.

Este ano, a tunisiana reivindicou sua vingança pessoal ao eliminar a cazaque nas quartas de final, com uma combinação de determinação, golpes variados e controle de suas emoções.

A mesma fórmula que nesta semifinal a levou a superar o poderoso jogo de Sabalenka.

"Foi muito difícil receber os golpes e saques dela", disse Jabeur, garantindo que o apoio do público "a manteve jogando". "Obrigado por acreditar em mim", acrescentou.

"Estou muito orgulhosa porque a versão antiga de mim talvez pudesse ter perdido este jogo e iria para casa", mas a nova "conseguiu encontrar forças", controlando as emoções.

"Estou aprendendo a transformar a energia negativa em positiva", disse ela, "dando tudo para vencer esta partida e, com sorte, o torneio".

Esta semifinal foi o confronto entre dois estilos totalmente opostos: de um lado, Sabalenka, com pura força física e pouca variedade de golpes; de outro, Jabeur, com um grande leque de jogadas, toques suaves e mudanças de ritmo.

As duas, usando suas armas, pararam a adversária ao longo do primeiro set, chegando inevitavelmente a um tie-break definido mais pelos nervos do que pelos acertos. Uma dupla falta de Sabalenka inicialmente o direcionou para Jabeur, que então errou uma direita longa demais, seguida por um erro não forçado de backhand.

No segundo set, a bielorrussa de 25 anos conseguiu defender melhor as bolas curtas e suaves de Jabeur na rede e contra-atacar com suas próprias deixadas. E quebrou o saque da adversária, graças a uma dupla falta da tunisiana.

Mas Sabalenka também teve seu saque quebrado depois de cometer dupla falta e sofreu outra quebra no décimo game, graças a um belo backhand de sua oponente.

No terceiro set, a bielorrussa se defendeu como pôde, mas a veloz tunisiana, que venceu 10 dos últimos 12 games, a levou implacavelmente ao erro.

Veja também

Revelado ao futebol pelo Santos, ídolo japonês assina com novo clube aos 57 anos
FUTEBOL

Revelado ao futebol pelo Santos, ídolo japonês assina com novo clube aos 57 anos

Keylor Navas é acusado de trabalho análogo à escravidão, diz jornal francês
ACUSAÇÃO

Keylor Navas é acusado de trabalho análogo à escravidão, diz jornal francês

Newsletter