Organização garante retorno do Hang Loose a Noronha em 2020

Meta, porém, é elevar o status do evento de QS 6000 para QS 10.000, o que pode atrair ainda mais atletas de peso

Estrutura do Oi Hang Loose Pro Contest, em Fernando de NoronhaEstrutura do Oi Hang Loose Pro Contest, em Fernando de Noronha - Foto: Daniel Smorigo/WSL

Os organizadores do Oi Hang Loose Pro Contest tiveram uma excelente notícia. O QS 6000 do Circuito Qualifying Series, da World Surf League (WSL) está confirmado para 2020 e com grandes chances de ter elevado o seu status para 10000, o nível máximo de pontuação e premiação. Quem garante é o secretário de Educação e Esportes do Governo de Pernambuco, Fred Amancio, na visita ao evento realizado na Praia da Cacimba do Padre e que levou para a ilha surfistas de 20 países.

Neste ano, a competição foi viabilizada através da Lei de Incentivo ao Esporte, do Governo de Pernambuco, via Secretaria de Educação e Esportes, tendo a Oi como patrocinadora naming rights. “Na verdade, já estamos planejando 2020. Vamos, inclusive, antecipar o lançamento da Lei de Incentivo ao Esporte 2020, de forma que possa já viabilizar com organizadores todas as datas do processo”, anunciou Fred.

Leia também:
Organização garante retorno do Hang Loose a Noronha em 2020
Oi Hang Loose Pro Contest se encaminha para decisões
Com tubo, paraibano tira primeiro 10 do Oi Hang Loose Pro
Previsão de swell empolga o Oi Hang Loose Pro Contest

“Queremos crescer e estamos buscando caminhos para conseguir mais apoiadores. Não queremos o mesmo Hang Loose, estamos de olho no campeonato de 10 mil pontos. Já estamos fixados nessa meta. O Hang Loose 2020 já começou hoje”, destacou o secretário de Educação e Esportes do Governo de Pernambuco.

O empresário Álfio Lagnado, diretor-executivo da Hang Loose e que promoveu a 35ª edição do mais tradicional campeonato de surf do Brasil (a estreia foi em 1986), também confirmou a etapa em Noronha próximo ano e com a chance de alcançar o patamar máximo da WSL.

Realizada em seis dias, a primeira etapa QS 6000 da temporada mundial reuniu mais de 130 surfistas de todos os continentes, distribuindo US$ 130 mil em premiação, com US$ 20 mil ao vencedor, o potiguar Jadson André. Em uma final entre brasileiros, ambos do CT, ele venceu Yago Dora, num placar apertado, 16,46 a 16,10. Antes, nas quartas-de-final, o atleta de Natal já havia eliminado o atual bicampeão mundial Gabriel Medina, grande atração do evento. Do outro lado, Yago também superou outro nome de destaque, Italo Ferreira, quarto do ranking CT no ano passado, na semifinal.

O Oi Hang Loose Pro Contest foi uma realização da World Surf League (WSL) com patrocínio naming rights da Oi, através da Lei de Incentivo ao Esporte, do Governo de Pernambuco. Copatrocínio da 51 ICE.

Veja também

Ingressos da Olimpíada viram dilema para familiares de atleta e grupo de fãs
Olimpíada

Ingressos da Olimpíada viram dilema para familiares de atleta e grupo de fãs

Marta responde Bolsonaro após fala do presidente sobre futebol feminino
Polêmica

Marta responde fala de Bolsonaro sobre futebol feminino