Owen Wright bate o amigo Medina e vence em Teahupoo

Owen Wright devolveu o revés sofrido contra Gabriel na final dessa mesma etapa no ano passado

Owen Wright aproveitou uma bobeira de Gabriel Medina, que deixou passar a melhor onda da bateriaOwen Wright aproveitou uma bobeira de Gabriel Medina, que deixou passar a melhor onda da bateria - Foto: Brian Bielmann / AFP

Uma final de altíssimo nível, entre amigos pessoais, marcou o encerramento do Tahiti Pro Teahupoo, sétima etapa do Championship Tour (CT) de surfe masculino 2019, na noite desta quarta-feira (28). O brasileiro Gabriel Medina, bicampeão mundial, e o australiano Owen Wright, que ainda não conquistou a taça na carreira, foram os únicos atletas do evento a arrancarem a nota 10 dos juízes. E foram justamente eles, que se mostraram à vontade durante toda a etapa, os protagonistas da imprevisível e disputadíssima final. Melhor para Owen Wright, que devolveu o revés sofrido contra Gabriel na final dessa mesma etapa no ano passado. O australiano venceu por 17.07 x 14.93.

O brasileiro liderou a maior parte da bateria, que foi marcada em sua maioria por ondas medianas. As ondas de maior potência ficaram reservadas para os minutos finais, justamente quando o australiano mostrou mais estratégia.

Leia também:
Com 10 unânime, Medina faz maior soma em Teahupoo
Medina vira contra Italo Ferreira e vence etapa de J-Bay
Medalhista de bronze no surfe competiu grávida em Lima
Paixão pelo Surfe leva vítima de incidente com tubarão a se blindar de trauma


Gabriel anotou um 7.83 em tubo de pequeno porte, mas com um bom posicionamento dentro dele, e acrescentou ainda um 7.10. Precisando de um 7.21 a menos de cinco minutos do fim, Owen aproveitou uma bobeira de Gabriel, que deixou passar a melhor onda da bateria mesmo tento a prioridade, e arrancou a virada com um 9.17. Com isso, Gabriel passou a necessitar de um 9.08. Mas, logo na sequência, o australiano emendou outro belo tubo, de novo na prioridade do brasileiro, e aumentou a necessidade de nota do atual campeão mundial para 9.24. Porém, o mar acalmou e Gabriel não teve chances de fazer mais nota.

“O campeonato foi bom, me sinto em um bom momento, após Jeffrey’s (etapa anterior na qual foi campeão) e agora. Sinto que estou na briga. Agora é preparar para o Surf Ranch (próxima etapa, na piscina de ondas artificiais de Kelly Slater, Califórnia)”, disse o brasileiro.

Owen, por sua vez, não escondeu a felicidade com o título, que, segundo ele, era um sonho antigo. Disse ainda que, após a derrota no ano passado, falou a Gabriel que aquilo tinha de acontecer de novo, e o universo ouviu.

Com esse resultado, a lycra amarela de líder passa a ser do paulista Filipe Toledo, que, embora eliminado nas oitavas, foi ajudado pela má campanha do ex-líder Kolohe Andino (EUA). O norte-americano foi ultrapassado também por Jordy Smith (AFS). Gabriel, que de 2014 para cá tem dois títulos, três vices e dois terceiros lugares em Teahupoo, sai do sétimo para o quarto lugar, enquanto Owen dará um respiro ao sair da 12ª colocação.

Veja também

Santa Cruz define como chapa da situação Antônio Luiz Neto, para presidência do clube
Santa Cruz

Santa Cruz define como chapa da situação Antônio Luiz Neto, para presidência do clube

Brocador fica fora da relação pela segunda vez seguida no Sport
Sport

Brocador fica fora da relação pela segunda vez seguida no Sport