Brasileirão feminino

Palmeiras segura pressão, bate Ferroviária e larga na frente nas quartas de final

Avaí/Kindermann supera Inter; São Paulo e Santos não saem do zero

Palmeiras bate a Ferroviária e larga na frente nas quartas de final do Brasileiro A1Palmeiras bate a Ferroviária e larga na frente nas quartas de final do Brasileiro A1 - Foto: Fábio Menotti/Palmeiras

O Palmeiras saiu na frente da atual campeã Ferroviária no confronto pelas quartas de final da Série A1 (primeira divisão) do Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino. Nesta quarta-feira (28), o Verdão bateu as Guerreiras Grenás por 2 a 1 no Allianz Parque, em São Paulo.

A vitória deu às palmeirenses a vantagem do empate na partida de volta, que será neste domingo (1º), às 19h30 (horário de Brasília), na Arena Fonte Luminosa, em Araraquara (SP). O time do interior paulista terá de ganhar por ao menos dois gols de diferença para ficar com a vaga. Se vencer por um gol, a decisão será nos pênaltis.

As palestrinas abriram o marcador aos três minutos. A atacante Bianca cobrou escanteio pela direita e a zagueira Thais Ferreira cabeceou no contrapé da goleira Luciana. A Ferroviária pressionou atrás do empate, mas pecou na pontaria. A melhor chance foi aos 23 minutos. Aproveitando a sobra de uma dividida na grande área, a atacante Patrícia Sochor mandou por cima, mesmo com a goleira Vivi no chão.

Na etapa final, logo aos cinco minutos, o Verdão mostrou novamente eficiência e ampliou com um golaço de Camilinha. Em contra-ataque iniciado por Vivi, a meia saiu em disparada do campo de defesa, sem marcação e chutou de fora da área, no ângulo de Luciana. As Guerreiras Grenás seguiram em cima, tiveram oportunidades e, enfim, diminuíram com Sochor, que desarmou a zagueira Agustina na entrada da área e bateu na saída da goleira, aos 36. A atacante teve a chance do empate aos 42, mas parou no travessão.

Caçadoras na frente
Em Florianópolis, o Avaí/Kindermann superou o Internacional por 3 a 2, em outro confronto das quartas de final. Como a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) determinou que os times atuassem em seus estádios principais no mata-mata, as catarinenses - que jogam em Caçador (SC), base do Kindermann, a 400 quilômetros da capital do estado - mandaram a partida na Ressacada, casa do Avaí.
 

O Inter saiu na frente aos 30 minutos. A atacante Shasha invadiu a área pela direita e rolou, na saída da goleira Bárbara, para a meia Juliana mandar para as redes. Aos 39, a meia Pat lançou a atacante Lelê, que driblou a goleira Yasmin e empatou. Cinco minutos depois, após cobrança de escanteio da meia Júlia Bianchi pela esquerda, a zagueira Siméia dividiu com Yasmin e virou o placar.

Na etapa final, a bola parada foi, novamente, arma letal para o Avaí/Kindermann. Aos oito minutos, Júlia Bianchi cobrou falta na área, Lelê ganhou de Yasmin pelo alto e a lateral Bruna Calderan ficou com a sobra, na pequena área, para marcar o terceiro. O Internacional ainda descontou aos 32: Juliana cruzou da esquerda, a bola resvalou no travessão e sobrou para a atacante Byanca Brasil diminuir o prejuízo.

As equipes se reencontram no domingo, às 17h, no Beira-Rio, em Porto Alegre. As Avaianas Caçadoras têm a vantagem do empate. O Internacional tem de vencer por dois ou mais gols de diferença. Se a vitória das Gurias Coloradas for por um gol de saldo, a classificação às semifinais será decidida nos pênaltis.

San-São zerado
Já no estádio do Morumbi, na capital paulista, São Paulo e Santos não saíram do zero. Os rivais vão para o segundo jogo do confronto - neste domingo, às 16h, na Arena Barueri - sem vantagem.

A etapa inicial foi movimentada, com o Tricolor superior na primeira metade, acertando a trave com a atacante Duda. Depois, as Sereias da Vila dominaram e quase marcaram aos 39, em uma bomba da atacante Cristiane, após jogada de tiro livre indireto, que a goleira Carla salvou. A resposta foi imediata, em cabeçada à queima-roupa da zagueira Thaís Regina, na pequena área, que a goleira Michelle defendeu.

No segundo tempo, as equipes sentiram o desgaste e os desfalques que tiveram para o encontro e o ritmo do jogo caiu bastante, com os técnicos Lucas Piccinato e Guilherme Giudice lançando mão de todas as alterações possíveis, sem efeito. O São Paulo teve a melhor oportunidade da etapa com Kamilla. Aos 29 minutos, a atacante ficou cara a cara com Michelle, mas chutou para fora.

Veja também

Referência no judô, Tenório almeja 7ª medalha paraolímpica aos 50
Esportes

Referência no judô, Tenório almeja 7ª medalha paraolímpica aos 50

Após cobrança de falta desastrosa, Thiago Neves pede desculpas à torcida do Sport
Sport

Após cobrança de falta desastrosa, Thiago Neves pede desculpas à torcida do Sport