Paolo Guerrero é liberado para jogar pelo Flamengo

TAS autorizou o retorno de Guerrero até decidir sobre a extensão da pena por flagra em antidoping nas Eliminatórias

Paolo Guerrero, atacante peruanoPaolo Guerrero, atacante peruano - Foto: Getty Images/AFP

O atacante Paolo Guerrero, que foi suspenso pela Fifa em novembro, por doping, recebeu autorização do TAS (Tribunal Arbitral do Esporte, na sigla em francês) para jogar pelo Flamengo até ser anunciada a decisão final sobre seu caso. A punição imposta pela Fifa ao peruano termina nesta quinta-feira (3).

Neste mesmo dia, em sessão de mais de dez horas, o TAS discutiu se estenderá a pena por mais dois anos, sob recomendação da Wada (Agência Mundial Antidoping, na sigla em inglês). No entanto, a corte não comunicou seu veredito e não determinou prazo para tal. Até lá, o atacante poderá atuar por seu clube.

Guerrero compareceu ao julgamento em Lausanne, na Suíça, e, na saída, se disse otimista quanto a uma decisão favorável. "Disse tudo o que tinha que dizer, e agora é preciso esperar a decisão", afirmou o peruano. O atacante foi suspenso após um exame detectar em seu organismo a presença de benzoilecgonina, principal metabólito da cocaína. Inicialmente, ele deveria ficar longe dos gramados por um ano, mas, posteriormente, teve pena reduzida para seis meses.

Leia também:
Agência recorre e pede dois anos de gancho para Guerrero
Defesa de Guerrero traça estratégia para absolvição total
Fifa anuncia suspensão de um ano para Paolo Guerrero
Guerrero é pego no antidoping e terá 30 dias de suspensão

A audiência na Suíça tinha por objetivo entender se Guerreiro consumiu a substância dopante de forma involuntária ou se ele usou ciente dos riscos. Desde o início da suspensão, o jogador do Flamengo negou o uso da droga, destacando que ingeriu chá de coca, bebida tradicional em seu país, durante concentração do Peru em Buenos Aires, para duelo contra a Argentina pelas eliminatórias da Copa do Mundo, no dia 5 de outubro.

Contratado por Guerrero, o bioquímico Luiz Carlos Cameron alegou que a quantidade da substância dopante encontrada na urina do jogador não era suficiente para responsabilizá-lo por uso de droga. O bioquímico salientou que não havia traços de coca no cabelo dele, o que seria mais uma evidência de que Guerrero não havia consumido cocaína.

De acordo com o jornal espanhol As, o depoimento de uma funcionária do hotel ao TAS, via Skype, pode ser determinante para o encerramento do processo. A funcionária informou aos membros do Tribunal que ofereceu o chá para Guerrero na concentração dos peruanos. Com a volta aos campos antes do veredito do TAS, Guerrero analisa novo contrato com o Flamengo. O peruano tem vínculo com o clube até agosto e estará à disposição para a rodada deste fim de semana pelo Brasileirão. O time rubro-negro enfrenta o Internacional, no domingo (6).

Veja também

Sport vence Grêmio por 1x0, na Ilha do Retiro
Futebol

Sport vence Grêmio por 1x0, na Ilha do Retiro

Acompanhe todos os lances de Sport x Grêmio, pela Série A do Campeonato Brasileiro
SÉRIE A

Acompanhe todos os lances de Sport x Grêmio, pela Série A do Campeonato Brasileiro