Para o Santa Cruz, evitar a pior campanha é o que resta

Há 10 anos, o Santa Cruz encerrava sua participação na Série A do Campeonato Brasileiro com 28 pontos, na lanterna da competição.

Givanildo Oliveira citou que as ausências de Rony e Vinícius atrapalharam o Timbu diante do Luverdense  Givanildo Oliveira citou que as ausências de Rony e Vinícius atrapalharam o Timbu diante do Luverdense  - Foto: Léo lemos/náutico

 

Torcer por uma reação histórica e uma combinação quase inacreditável de resultados dos rivais para se livrar do rebaixamento à Série B do Campeonato Brasileiro não faz mais parte dos planos do Santa Cruz. A queda é certa. Se a matemática aponta 99,9% de chances, a realidade crava os 100%. São poucas as motivações dos tricolores nesta reta final de temporada. Uma delas é evitar que o desempenho de 2016 seja ainda pior do que o de 2006, ano em que o clube disputou sua primeira edição do Brasileirão no sistema de pontos corridos.

Há 10 anos, o Santa Cruz encerrava sua participação na Série A do Campeonato Brasileiro com 28 pontos, na lanterna da competição. Em 38 jogos, o time venceu apenas sete, mesma quantidade de empates. Nas demais 24 partidas, os tricolores saíram derrotados. Foram 41 gols marcados (3º pior ataque) e 76 sofridos (pior defesa). Um aproveitamento de 24,5%.

Faltando seis rodadas para o término do Brasileirão, o Santa precisa somar mais seis pontos para ultrapassar a marca de outrora. Em 32 jogos, o Tricolor venceu apenas seis, empatando cinco e perdendo em 21 oportunidades. Os pernambucanos marcaram 35 gols e sofreram 58. Falta fazer sete tentos para passar a quantidade de 2006. Em relação aos números defensivos, a tendência é que a Cobra Coral não termine o torneio com tantos gols tomados como na edição de 2006. Para isso, basta não ser vazada mais de 18 vezes até o apito final da 38ª rodada.

Na próxima rodada, o Santa Cruz visita o Internacional, no Beira-Rio. Os últimos cinco jogos do Tricolor serão contra América/MG, Coritiba, Atlético/MG, Grêmio e São Paulo.

Garotada
Existe uma forte possibilidade de o Santa Cruz colocar alguns atletas das categorias de base para entrar em campo nesta reta final do Brasileirão. A intenção seria dar oportunidade para jogadores do sub-20, testando possíveis opões para integrar o elenco coral em 2017. Neste ano, poucos jovens formados no Arruda tiveram chances na equipe principal. Os volantes Marcílio e Wellington Cézar foram os que mais atuaram, com cinco e quatro jogos cada, respectivamente. O zagueiro Walter Guimarães e os meias Williams Luz e André Luiz seriam alguns dos nomes que poderiam representar o Tricolor nas rodadas finais do Nacional. Vale lembrar que o Santa segue sendo comandado pelo auxiliar técnico Adriano Teixeira após o pedido de demissão do técnico Doriva.

 

Veja também

Aliviado, Kleina vê vitória como fator para 'readquirir confiança'
Náutico

Aliviado, Kleina vê vitória como fator para 'readquirir confiança'

Sai, zica! Náutico encerra jejum e bate Oeste fora de casa
Série B

Sai, zica! Náutico encerra jejum e bate Oeste fora de casa