Futebol

Patric analisa reencontro com Atlético/MG e diz que é "tempo de sacrifício" no Leão

Lateral já passou pelo Galo e contou como imagina que o adversário vai se comportar no duelo pela Série A

Patric, lateral-direito do SportPatric, lateral-direito do Sport - Foto: Anderson Stevens/Sport Club do Recife


Neste sábado (24), no Mineirão, pela Série A do Campeonato Brasileiro, o Sport visita o Atlético/MG. Jogo que marcará o reencontro do lateral-direito Patric com seu ex-clube. No Galo, o defensor jogou entre os anos de 2011, 2015-2017 e 2018-2020, com 181 partidas e 11 gols. Até o início da temporada, ele estava vestindo a camisa alvinegra. Conhecimento que pode ajudar o Leão a acabar com a sequência de quatro confrontos sem vitórias na competição.

“Fiquei muito tempo no Atlético/MG e vivi grandes momentos lá. Fico feliz de reencontrar os companheiros, o clube, mas hoje defendo o Sport. Espero que o Leão saia vitorioso. Conhecer o time ajuda, mas sei que a metodologia deles mudou com Sampaoli. Tem uma frase para esse momento: é tempo de sacrificar. Queremos viver o que a gente já viveu para voltar a pontuar. Vamos com tudo. Uma vitória aqui nos leva ao momento maravilhoso que já vivemos”, afirmou. 

O lateral acredita que o Atlético/MG entrará com uma postura ofensiva diante do Sport. O Galo é o terceiro colocado da Série A, com 31 pontos. O Leão está em 12º, com 20. “Sabemos que será um jogo extremamente difícil, de intensidade, em que o adversário vai querer propor o jogo. O treinador deles tem essa característica de ir para cima, sufocar o adversário. Estive com ele, não por muito tempo, mas foi possível visualizar algumas coisas. Estamos preparados para mudar esse cenário, fazer uma boa partida fora de casa para retomar o caminho das vitórias”, concluiu. 

 

Veja também

Bruna Tomaselli vai representar Brasil na temporada 2021 da W Series
Automobilismo

Bruna Tomaselli vai representar Brasil na temporada 2021 da W Series

Brasileira nada mais de 30 horas ininterruptas e bate recorde mundial
Natação

Brasileira nada mais de 30 horas ininterruptas e bate recorde mundial