Paulinho e Alison pedem atenção especial a peruanos Guerrero e Cueva

"Já joguei contra o Guerrero algumas vezes. É um jogador que dá muito trabalho para o sistema defensivo", analisou o goleiro

Recadastramento biométricoRecadastramento biométrico - Foto: Divulgação/Tribunal Superior Eleitoral

Após a convincente vitória sobre a Argentina, os jogadores da seleção brasileira já começam a estudar os peruanos, rivais que enfrentarão em partida realizada na quarta-feira (16), em Lima, no Peru. O meia Paulinho e o goleiro Alisson pediram atenção aos atacantes Cueva, do São Paulo, e Guerrero, do Flamengo. A dupla se destacou na vitória por 4 a 1 sobre o Paraguai na quinta-feira (10).

"Sabemos da dificuldade que vamos enfrentar lá. Acredito que a partida será muito truncada. Mas estamos preparados. Já joguei com o Guerrero no Corinthians. O Cueva também vem fazendo um grande trabalho, é veloz, tem muita agilidade, então temos que ter atenção com eles", disse o jogador do Guangzhou Evergrande, da China.

"Já joguei contra o Guerrero algumas vezes. É um jogador que dá muito trabalho para o sistema defensivo, centroavante nato, tem mobilidade, sabe sair para organizar o jogo. Temos que ficar atentos para neutralizá-lo", analisou o goleiro.

VALORIZAÇÃO


Os dois jogadores aproveitaram suas entrevistas para valorizarem a boa fase pela qual passa a seleção brasileira. Sob o comando de Tite, são cinco vitórias em cinco jogos, sendo que dois deles contra adversários considerados fortes, como Colômbia e Argentina. "Temos que valorizar o trabalho que estamos fazendo. Partidas importantes e difíceis. Terminar esse ano bem, na primeira colocação, é fundamental. Vamos enfrentar uma seleção de qualidade, mas podemos fazer grande jogo e sair com a vitória", comentou Paulinho.

"Uma equipe vencedora se constrói a partir de momentos de dificuldades. Internamente, a gente acreditou no nosso potencial também. A consistência defensiva vem desde a ajuda dos homens de frente. Estamos fazendo um grande trabalho coletivo", disse Alisson, lembrando da eliminação da Copa América neste ano justamente após derrota para o Peru.

O goleiro ainda admitiu certa apreensão por disputar poucas partidas na Roma, seu time na Itália, onde é reserva. "Gostaria de estar jogando todos os jogos, claro. Mas os poucos que venho jogando tenho me dedicado ao máximo, e também nos treinos, para não perder ritmo. Nos treinamentos também me sinto confiante".

O Brasil é líder das eliminatórias da Copa de 2018, com 24 pontos, à frente do Uruguai, com 23. O Peru está na oitava colocação do torneio, com 14 pontos.
A seleção brasileira deixa o centro de treinamento do Atlético-MG neste domingo, às 15h, e seu voo está previsto para chegar em Lima por volta das 21h (de Brasília).

Veja também

Cairo Santos renasce na NFL após dispensas e até quebra recorde pessoal
NFL

Cairo Santos renasce na NFL após dispensas e até quebra recorde pessoal

Mesmo longe de técnico, Palmeiras negocia por reforços para defesa e ataque
Futebol

Mesmo longe de técnico, Palmeiras negocia por reforços para defesa e ataque