Náutico

"Não podemos mais oscilar", Paulo Sérgio prega virada de chave no Náutico na partida contra o Remo

O Timbu vem de duas derrotas consecutivas fora de casa contra Ferroviária-SP e Volta Redonda-RJ

Paulo Sérgio prega virada de chave no Náutico após duas derrotas Paulo Sérgio prega virada de chave no Náutico após duas derrotas  - Foto: Gabriel França / CNC

Artilheiro do Náutico no ano, Paulo Sérgio vive um bom início de Série C. Em três jogos o centroavante marcou três gols sendo o último na derrota para o Volta Redonda-RJ, que marcou o retorno dele ao time após lesão na musculatura abdominal. Apesar do bom aproveitamento, o jogador acredita que o Timbu precisa se recuperar rapidamente das derrotas consecutivas. 

"Feliz por ter voltado, foi um período mais ou menos de 15 dias que eu fiquei sem participar. É difícil voltar depois de um período desse e jogar mais de 90 minutos, mas me senti muito bem. Feliz de ter voltado a marcar, são três jogos e três gols", iniciou o atacante que trocaria os gols marcados pelas vitórias. 

"Só que eu trocaria os gols pelos resultados positivos. A gente sabe que ficou devendo mais uma vez. Óbvio que os jogos fora de casa sempre têm suas dificuldades, mas a gente sabia que podia ter algo a mais para, no mínimo, trazer um ponto nessas duas últimas partidas", completou Paulo Sérgio. 

A chance do Náutico recuperar os caminhos da vitória será neste sábado (25), às 17h, contra o Remo. O atacante acredita que o Alvirrubro não tem mais tempo para oscilar e precisa usar esse jogo para uma virada de chave.

"Tem muito campeonato pela frente, mas o alerta está ligado. A gente sabe que não pode haver mais erros, não podemos mais oscilar na competição. A virada de chave tem que ser sábado".

Veja também

Revelado ao futebol pelo Santos, ídolo japonês assina com novo clube aos 57 anos
FUTEBOL

Revelado ao futebol pelo Santos, ídolo japonês assina com novo clube aos 57 anos

Keylor Navas é acusado de trabalho análogo à escravidão, diz jornal francês
ACUSAÇÃO

Keylor Navas é acusado de trabalho análogo à escravidão, diz jornal francês

Newsletter