Pernambucano Patoruzú conquista bi da Refeno

Trimarã travou uma emocionante disputa entre céu e mar com o paulista Atrevida. Ultrapassagem ocorreu no final da manhã do domingo após quase 24 horas de prova

Patoruzú é o Fita Azul da 31ª RefenoPatoruzú é o Fita Azul da 31ª Refeno - Foto: Everest Imagens/divulgação

FERNANDO DE NORONHA (PE) - Confirmando o favoritismo depositado nas vésperas da 31ª edição da Regata Internacional Recife-Fernando de Noronha (Refeno), o trimarã pernambucano Patoruzú chegou primeiro ao Mirante do Boldró, na tarde deste domingo (13), às 17h15 (horário do Recife, 18h15 na ilha), e conquistou o bicampeonato.

A embarcação ganhou o Fita Azul, prêmio concedido ao primeiro colocado da regata organizada pelo Cabanga Iate Clube de Pernambuco. O Patoruzú travou uma disputa emocionante entre céu e mar com o paulista Atrevida, integrante da classe RGS A, que partiu do Recife uma hora antes do trimarã pernambucano. Os dois barcos ficaram proa a proa durante a madrugada inteira deste domingo, quando o Patoruzú finalmente ultrapassou o Atrevida quase 24 horas após a partida e assumiu a liderança, de onde não saiu até chegar a Noronha.

Primeiro a chegar ao arquipélago, o Patoruzú completou as 300 milhas náuticas (cerca de 550 quilômetros) em 27h45min35s. O tempo de prova este ano foi quase duas horas maior que o do ano passado, quando o trimarã fez o percurso em 25h58min12s. O tempo total de prova do Patoruzú não foi suficiente para quebrar o recorde histórico da Refeno - na edição de 2007 da regata, o catamarã baiano Adrenalina Pura cravou 14h34min54s, marca não alcançada até hoje.

O tripulante Igor Guimarães, do Patoruzú, relatou que o tirante, peça que sustenta a estrutura do trimarã, se soltou durante a prova. “A gente largou bem, mas soltou a peça durante o percurso e tivemos que parar o barco. Como não tinha outro pino para substituir, colocamos uma chave. Perdemos uma hora nessa manobra. Ficamos quatro horas sem subir a vela e, depois que alguns barcos passaram, subimos novamente”, contou.

Maior veleiro de passeio da América Latina, com 95 pés (29 metros) de comprimento, o Atrevida chegou em segundo lugar. Com 96 anos de história, a embarcação construída em 1923 chegou a Noronha às 18h22 (do Recife, 19h22 na ilha) e completou o percurso em 29h52min32s em sua primeira participação na Refeno.

Leia também:
Barcos partem do Marco Zero do Recife rumo a Fernando de Noronha na 31ª Refeno


A partida da regata ocorreu nesse sábado (12), às 12h (horário do Recife), no Marco Zero. A Refeno deste ano conta com a participação de 95 embarcações e mais de 700 tripulantes divididos em quatro grupos.

Partiram do Recife 92 barcos e três enfrentaram problemas no início do percurso. O Pinguim voltou para a capital pernambucana com o leme quebrado, o Glasnost III teve um furo no casco e o Mia Nera, com problemas técnicos, seguiu para Cabedelo/PB. A expectativa do Cabanga é de que todos os veleiros cheguem à ilha até a terça-feira (15).

Chegada da 31ª Refeno

1º - Patoruzú - 27h45min35
2º - Atrevida - 29h52min32
3º - Sagma - 30h06min02
4 - Algo + - 31h18min22
5 - Boto V - 32h22min17

Veja também

100% na Ilha, Jair celebra vitória, pede pés no chão e avisa: 'Estamos em evolução'
Sport

100% na Ilha, Jair celebra vitória, pede pés no chão e avisa: 'Estamos em evolução'

Sport passa pelo Corinthians e sobe para 7ª posição no Brasileiro
Campeonato Brasileiro

Sport passa pelo Corinthians e sobe para 7ª posição no Brasileiro