Polícia indicia agressor de jornalista no Gre-Nal

O inquérito foi aberto por injúria e deve chegar ao Ministério Público, que abrirá ou não um processo criminal

Renata Medeiros, repórter do Grupo RBSRenata Medeiros, repórter do Grupo RBS - Foto: Divulgação/internet

Após análise das imagens repassadas pelo Internacional e investigação nos últimos dias, a 20ª Delegacia de Polícia de Porto Alegre abriu inquérito contra o agressor da repórter Renata de Medeiros, da Rádio Gaúcha, nesta quinta-feira (15). O fato ocorreu no último domingo (11), pouco antes da bola rolar no Gre-Nal do Beira-Rio.

Leia também:

Inter procura torcedor que agrediu repórter no estádio

O nome do agressor, já identificado, é mantido em sigilo. A reportagem apurou, no entanto, que não se trata de um sócio do Internacional, pois ele entrou no estádio portando carteirinha de outra pessoa. Ele não tem antecedentes criminais, portanto, é considerado réu primário.

O inquérito foi aberto por injúria e deve chegar ao Ministério Público, que abrirá ou não um processo criminal, até sexta-feira (16).

Incluso no artigo 140 do Código Penal, o agressor pode pegar de um a quatro anos de prisão. Porém, por ter bons antecedentes a tendência é que exista a transação penal com pagamento de outra forma.

Renata trabalhava entrevistando torcedores do Inter antes do recente Gre-Nal. O agressor, sem razão aparente, proferiu uma série de xingamentos contra a jornalista. Ela começou a gravar um vídeo com o celular e questionou ele: "Do que você me chamou?". Ele, irritado, deu um soco na altura do braço da repórter.

O agressor foi retirado do estádio pelos seguranças do Inter na ocasião, mas não foi encaminhado ao Jecrim (Juizado Especial Criminal) para responder pelos atos.

Veja também

Santa Cruz estende o contrato de três jogadores até o fim da Série C
Futebol

Santa Cruz estende o contrato de três jogadores até o fim da Série C

Martelotte e dois jogadores do Santa Cruz testam positivo para a Covid-19
Futebol

Martelotte e dois jogadores do Santa Cruz testam positivo para a Covid-19