Santa Cruz

Polivalente, Célio Santos prega concentração para clássico ante o Sport

Os dois únicos jogos disputados pelo zagueiro tricolor no início da temporada agradaram o técnico Itamar Schulle, que o lançou tanto como zagueiro quanto como lateral

Célio Santos, zagueiro do Santa CruzCélio Santos, zagueiro do Santa Cruz - Foto: Rafael Melo/Santa Cruz

Com os retornos decretados do Campeonato Pernambucano e Copa do Nordeste, datados para os dias 19 e 21 de julho, respectivamente, o Santa Cruz novamente readequa a sua rotina para voltar bem às quatro linhas. No Estadual, sem grandes preocupações, no momento, visto que já tem vaga garantida na semifinal da competição. No Nordestão, a Cobra Coral precisa vencer o River/PI, pela última rodada da fase classificatória e torcer por uma combinação simples de resultados para se lançar ao mata-mata do Regional. 

Certo de que “não tem preferência” entre as competições, o estiloso, polivalente e curto nas palavras, Célio Santos mostrou estar ansioso para voltar a performar dentro de campo. Para isso, o defensor atenuou prontidão para atuar na sua função de ofício, como zagueiro, ou na lateral-esquerda, posição que atuou improvisado na partida ante o Freipaulistano, pelo Nordestão.“Estou preparado tanto para atuar como zagueiro, como na lateral também. Eu jogava muito de terceiro zagueiro, bem aberto. Então, é praticamente uma função de lateral”, disse. 

Para a partida do próximo domingo (19), contra o Sport, pela oitava e última rodada da primeira fase do Estadual, a torcida coral terá a oportunidade, mesmo que de casa, de traçar as primeiras impressões de como o elenco reiniciou as atividades depois da quarentena. Claro, sob um cenário digamos que confortável para o Tricolor e de extremo aperto para o rival - caso o Leão saia derrotado, corre o risco de brigar pelo quadrangular do rebaixamento. 

Ainda que garantido na ponta da tabela com 22 pontos, em campanha invicta até então, o lema no Arruda é entoado em sincronia: “clássico é clássico”, em meio ao vazio das arquibancadas. “Mesmo que seja sem público, é clássico. Clássico a gente tem que entrar bem e concentrado para poder ganhar”. 

Célio Santos fez dois jogos pelo Santa antes dos campeonatos serem interrompidos, por conta da Covid-19. Nas duas ocasiões - contra o Central, atuando de zagueiro, e perante o Freipaulistano, improvisado na lateral-esquerda-, agradou ao comandante Itamar Schulle e à torcida tricolor, ao se mostrar peça que pode ser diferencial para o Mais Querido ao longo das competições de 2020.  

Veja também

Corinthians e Palmeiras chegam à final do Paulista com jovens em busca de protagonismo
Campeonato Paulista

Corinthians e Palmeiras chegam à final do Paulista com jovens em busca de protagonismo

Chiquinho deixa o DM Coral, mas não deve ser opção para a final do Estadual
Santa Cruz

Chiquinho deixa o DM Coral, mas não deve ser opção para a final do Estadual