Por divergências, Ferrari ameaça deixar a F-1 em 2021

Escuderia não concorda com as mudanças de regras propostas pelo grupo Liberty Media, novo dono da categoria

Divulgação do modelo da Ferrari para 2018Divulgação do modelo da Ferrari para 2018 - Foto: Ferrari Press Office/AFP

O presidente da Ferrari, Sergio Marchionne, voltou a falar sobre a possibilidade de a escuderia italiana deixar a Fórmula 1 em 2021. O dirigente afirmou que a Ferrari sairá caso não possa conciliar as diferenças com a principal categoria do automobilismo.

"Eu não disse que estávamos saindo da Fórmula 1 em 2020, mas que se não pudermos conciliar nossas diferenças, então iremos embora. Temos corrido na Fórmula 1 há mais tempo do que qualquer outro time. Entendemos o esporte. É definitivamente difícil imaginar a F-1 sem a Ferrari, eu sei que sinceramente espero que possamos continuar", disse em entrevista à revista Autocar.

As ameaças da Ferrari se dão por causa da possível mudança de regulamento em 2021. O grupo Liberty Media, novo dono da categoria, propõe aumentar o número de componentes padronizados nos motores dos carros da Fórmula 1. Recentemente, Marchionne já havia dito que o grupo estava brincando com fogo.

Leia também:
Ferrari apresenta carro todo vermelho para F1 2018
Ferrari ficará sem o patrocínio do Santander para 2018
Ferrari pode economizar R$ 432 mi se deixar F-1
Ferrari ameaça deixar F1 após anúncio de mudanças

"Estamos em diálogo com o Liberty Media e espero que possamos encontrar uma maneira de avançar até o final deste ano. Se não acontecer, vocês vão ouvir sobre isso de novo", prosseguiu Marchionne à Autocar. A Ferrari está na Fórmula 1 desde a primeira temporada da categoria, em 1950. A escuderia é a única a participar de todos os campeonatos desde então.

Veja também

Com Simões suspenso, Kevyn deve ser titular contra o Cruzeiro
Futebol

Com Simões suspenso, Kevyn deve ser titular contra o Cruzeiro

Sport está liberado para inscrever novos atletas
Futebol

Sport está liberado para inscrever novos atletas