Pós-acesso, Josa mira título pelo Timbu

Volante citou cuidados que o Náutico deve ter com Renato Cajá e relembrou importância do ex-treinador do clube, Márcio Goiano, na subida de divisão

Josa ao lado de Camutanga, ambos remanescentes de 2018Josa ao lado de Camutanga, ambos remanescentes de 2018 - Foto: Léo Lemos/Náutico

O volante Josa é um dos remanescentes do elenco de 2018 do Náutico. Esteve na campanha do clube na Série C passada, que encerrou de forma frustrante após eliminação nas quartas de final, perante o Bragantino. Em 2019, porém, o Timbu não bateu na trave e, diante do Paysandu, finalmente conseguiu o acesso à Série B. Feito celebrado com muita festa. Agora, a meta do marcador é aumentar a alegria dos alvirrubros buscando um inédito título nacional para os pernambucanos.

"Minha maior vontade no ano passado era ter conseguido o acesso. Agora tivemos essa cereja no bolo. Esse ano veio com muito merecimento. Trabalhamos muito e conseguimos. Foi o meu primeiro acesso. É até difícil descreve tanta felicidade. Agora vamos correr atrás do título", afirmou. "A euforia terminou na segunda, de 15h. Depois já começamos a treinar. Tivemos a reunião com a comissão e diretoria para ter foco total no jogo contra o Juventude", completou.

Para o volante, o acesso fez o Náutico apagar um antigo estigma de time que sempre tropeça nos momentos decisivos. "Essa história de bater na trave ou 'nadar e morrer na praia' está ficando para trás. Ano passado nadamos e morremos na praia, mas agora estamos próximos. Primeiros temos de passar pelo Juventude para depois buscar o título", explicou.

Nas entrevista após o acesso, os jogadores do Náutico trataram de dividir o mérito da conquista com o técnico Gilmar Dal Pozzo. Josa não foi diferente, mas com um acréscimo: o volante relembrou também o trabalho do treinador que montou a base no início de 2019, Márcio Goiano.

"Ele formou a base do elenco. É um cara que todos adoravam como pessoa e técnico. Tem uma boa participação, sim. Não estava dando certo a continuidade dele por conta dos resultados, mas ele tem uma parcela de contribuição. Depois veio Dal Pozzo que fez um bom trabalho e sacramentou o acesso", apontou.

Leia também:
Náutico pode ter até sete desfalques contra o Juventude
Lesões causam incertezas às vésperas da semi


Renato Cajá

Principal jogador do Juventude, o meia Renato Cajá terá atenção especial por parte dos alvirrubros. " Ele é um cara de qualidade. Já joguei contra ele e sei que é difícil marcá-lo. Precisamos ter atenção. Dal Pozzo já passou algumas coisas para gente sobre ele", pontuou.

Veja também

Sport confirma interesse em Toró, do São Paulo
Sport

Sport confirma interesse em Toró, do São Paulo

Vitória e Vera Cruz voltam a fazer clássico após sete anos e empatam em 2x2 no Arruda
Futebol

Vitória e Vera Cruz voltam a fazer clássico após sete anos e empatam em 2x2 no Arruda