Preparador do Náutico explica trabalho com goleiros em quarentena

João Lacerda acredita que prejuízo dos atletas na parada será semelhante ao de um período normal de férias

Jefferson (costas) e Marcão (frente), goleiros do NáuticoJefferson (costas) e Marcão (frente), goleiros do Náutico - Foto: Caio Falcão/Náutico/Divulgação

A paralisação dos campeonatos provocada pela pandemia do novo coronavírus mudou completamente a rotina dos atletas. Todos estão precisando se adaptar aos trabalhos em casa. Uma posição, em especial, tem sido mais afetada. Sem a capacidade de fazer as atividades com bola, os goleiros estão focando nos treinos físicos. Ainda assim, será inevitável a perda de ritmo de jogo. Quem detalha a situação é o preparador de goleiros do Náutico, João Lacerda.

"Infelizmente, por conta de estarem em casa, muitos não têm espaço para fazer um acompanhamento técnico. Prioritariamente, nós passamos um trabalho físico, colocando treinamentos de membro inferior, superior, fortalecimento de core, uma gama de exercícios para eles não caírem na rotina", afirmou. "Desde o primeiro dia de trabalho, a gente disponibilizou uma planilha, mudando os treinos a cada 15 dias. No meu caso, eu acompanho os quatro goleiros (Jefferson, Marcão, Halls e Renan). Eles sempre mandam vídeo dos treinos, do gasto calórico e vamos adaptando o trabalho de cada um", completou.

Mesmo com os trabalhos feitos em casa, Lacerda acredita que os goleiros precisarão de uma nova pré-temporada antes do retorno dos jogos. "Eu costumo dizer que teremos o mesmo prejuízo de férias. Teremos que fazer pré-temporada porque vamos perder o ritmo de jogo. Vamos iniciar do zero. Na volta, nós provavelmente teremos alguns dias de preparação. Precisaremos nos adaptar e fazer os trabalhos como se estivéssemos iniciando uma temporada. Será uma preparação similar ao que fizemos em dezembro do ano passado", explicou.

Leia também:
Jefferson enxerga evolução do Náutico em meio às dificuldades
Jefferson relata rotina de treinamentos em casa

Veja também

Brasil bate recorde de mulheres medalhistas em Tóquio com Ana Marcela
Jogos Olímpicos

Brasil bate recorde de mulheres medalhistas em Tóquio com Ana Marcela

Bruno Moraes lamenta estreia com derrota e prevê evolução após aprimoramento físico
Santa Cruz

Bruno Moraes lamenta estreia com derrota e prevê evolução após aprimoramento físico