Futebol Internacional

Presidente da Federação Suíça de Futebol acha "difícil" manter Eurocopa em 12 países

A competição está marcada para o mês de junho, mas ainda não foi apresentado um protocolo de segurança por parte da UEFA

Eurocopa seria realizada em junho de 2020, mas foi adiada para junho de 2021 por conta da pandemiaEurocopa seria realizada em junho de 2020, mas foi adiada para junho de 2021 por conta da pandemia - Foto: Divulgação/UEFA

O presidente da Federação Suíça de Futebol (ASF), Dominique Blanc, considera "difícil" que a Euro-2020, adiada para 2021 devido à pandemia, seja mantida em 12 cidades de 12 países, disse ele a diversos meios de comunicação de seu país nesta terça-feira. 

"Dada a situação sanitária, pessoalmente considero que a versão inicial, uma competição espalhada por toda a Europa, tenha poucas chances de ser feita devido às restrições de viagens", disse Blanc. 

"Em todo caso, parece difícil para mim, atualmente não acho que a Suíça viaje para jogar em Baku", acrescentou ele, respondendo a uma pergunta feita pelo Tribune de Genève e o jornal 24 Horas.

Prevista inicialmente para 2020 e remarcada para o período de 11 de junho a 11 de julho deste ano, a Eurocopa "vai ser disputada porque os conceitos de segurança implementados já foram testados”, acrescentou o dirigente. "Mas ninguém quer dizer como ainda", frisou. 

Entre as ideias discutidas pela Uefa, que se reunirá em seu congresso no próximo dia 20 de abril, "a primeira opção seria disputar a Eurocopa em um único país, na Rússia ou na Alemanha, por exemplo", explicou.

"A segunda solução, ainda mais restritiva, seria jogar em uma única cidade grande que tenha estádios grandes o suficiente para receber os seis grupos", disse Blanc, citando Londres, atualmente o foco de uma variante da Covid-19 mais contagiosa que a original.

No momento Blanc não acredita que os espectadores voltem aos estádios, devido ao lento avanço da vacina: "Penso que nos aproximamos de uma Eurocopa diferente, sem dúvida sem público". 

Contactada pela AFP, a Uefa não comentou estes possíveis cenários nem especificou quando irá decidir o que fazer. Em dezembro, ele afirmou que estava seguindo seu plano inicial de disputar a competição em 12 países.

Veja também

Casagrande critica omissão da CBF e Bolsonaro: 'Governo da morte, não da vida'
Opinião

Casagrande critica omissão da CBF e Bolsonaro: 'Governo da morte, não da vida'

Ministério Público denuncia 11 pessoas por incêndio no Ninho do Urubu
Futebol

Ministério Público denuncia 11 pessoas por incêndio no Ninho do Urubu