Presidente do Barça diz que Neymar é história e ninguém está acima do clube

Josep Maria Bartomeu abriu um congresso nesta segunda(7) com um forte discurso sobre a transferência do brasileiro

Jose Maria Bartomeu, presidente do BarcelonaJose Maria Bartomeu, presidente do Barcelona - Foto: German Parga/AFP

O presidente do Barcelona, Josep Maria Bartomeu, abriu um congresso do clube nesta segunda-feira (7) com um forte discurso sobre a transferência Neymar para o PSG. Falando para o corpo diretivo, Bartomeu disse que o atacante brasileiro já faz parte da história e ninguém está acima do clube.

"Quero falar de futuro. Somos o Barcelona, um clube querido ao redor do mundo. Mas, antes, queremos dar por encerrado um capítulo do passado. Neymar fez parte de nosso clube, mas agora já é história. Foi uma decisão sua e fizemos tudo que estava ao nosso alcance para que ficasse. Sempre atuando com a responsabilidade que nos cabe, respeitamos a sua decisão. Tudo tem um limite e nenhum jogador pode estar acima do Barcelona", disse.

Bartomeu aproveitou a situação para criticar indiretamente a postura do PSG, que para selar a transferência pagou os 222 milhões de euros (cerca de R$ 820 milhões) previstos como multa rescisória.

"Somos um clube de 118 anos de história, com grandes jogadores, com mais de 140 mil sócios, é nosso, dos sócios e não de um xeque ou oligarca", disse, em referência ao time parisiense, que é comandado pelo milionário Nasser Al-Khelaifi.

O presidente do Barcelona ainda citou Lionel Messi e André Iniesta como exemplos
de jogadores que estão identificados com o clube. E disse de forma direta que a maneira escolhida para a saída de Neymar não foi a correta, apesar de a recompensa financeira ter sido satisfatória.

"O compromisso de fidelidade de Leo Messi também deve ser um exemplo, assim como Andrés Iniesta. Prevíamos a possibilidade de Neymar sair e por isso subimos a cláusula e agora estamos trabalhando para encontrar substitutos", disse, citando que o valor da transferência será usado na busca por um substituto e para melhorar o patrimônio do clube.

"A decisão, seja qual fosse, seria boa para o Barça. Se ficasse, iríamos manter um grande jogador e se saísse teríamos uma grande quantidade (de dinheiro). Com esta cláusula tínhamos todas as garantias. As formas não foram as melhores, não são as que devem defender o nosso jogador. Este dinheiro servirá para melhorar o nosso patrimônio", completou.

Veja também

Eslovênia acusa comitê organizador do Mundial de Handebol de servir comida estragada
Handebol

Eslovênia acusa comitê organizador do Mundial de Handebol de servir comida estragada

Com 21% de chance de queda, Sport encara sequência que lhe deu apenas quatro pontos no 1º turno
Sport

Com 21% de chance de queda, Sport encara sequência que lhe deu apenas quatro pontos no 1º turno