Presidente do Santos é denunciado por acusar repórter sem provas

Clube paulista alegou interferência na arbitragem por parte do repórter da TV Globo, Eric Faria, no duelo Santos x Flamengo

Eric FariaEric Faria - Foto: Reprodução/Sportv

Rio de Janeiro (RJ) - A Procuradoria-Geral do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) denunciou o presidente do Santos, Modesto Roma Jr., nos artigos 1, 191 e 258 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) após a confusão na partida contra o Flamengo pela Copa do Brasil. Na visão do Tribunal, o cartola infringiu a imagem e a credibilidade do torneio ao acusar o repórter da TV Globo Eric Faria sem provas.

O clube não apresentou qualquer prova concreta sobre a citada interferência externa -em um pênalti marcado para o Santos e posteriormente anulado.

Diante disso, a Procuradoria enquadrou Modesto por "declarações antidesportivas e as que venham a macular a imagem da competição ou da CBF serão passíveis das punições" (artigo 1) e por desrespeitar os membros da equipe de arbitragem, ou reclamar desrespeitosamente contra suas decisões (artigo 258).

O presidente santista pode ser suspenso por até 180 dias. O artigo 191 do CBJD ainda prevê como punição multa de até R$ 100 mil pelo caso.

O caso será julgado na Terceira Comissão Disciplinar, na próxima quarta (9), às 14h30, no STJD.

"Com a polêmica instaurada e acusações graves a Procuradoria iniciou procedimento a fim de esclarecer os fatos e colher elementos que confirmassem a citada interferência externa e apurar a conduta do Santos e seu presidente. Neste sentido, a Procuradoria solicitou manifestação dos envolvidos: do repórter Eric Farias, dos árbitros da partida e do Santos. Em resposta a solicitação, o repórter negou qualquer comunicação com o quarto árbitro, que também afirmou que em nenhum momento se comunicou com Eric Faria, enquanto Leandro Vuaden, árbitro titular negou conhecimento ao fato. No posicionamento do Santos, o clube disse que não foi responsável pela divulgação do comunicado. A manifestação reafirma ainda a interferência externa. Com a ausência completa de elementos mínimos a caracterizar as acusações do clube e por entender que os fatos narrados são graves, a Procuradoria passou a analisar a conduta do Santos e de seu presidente com base no Código Brasileiro de Justiça Desportiva", disse o Superior, em nota na tarde desta sexta (4).

Veja também

Hélio elogia força do lado direito em vitória
Futebol

Hélio elogia força do lado direito em vitória

Náutico goleia Oeste por 4x1, nos Aflitos, e se distancia do Z4
Futebol

Náutico goleia Oeste por 4x1, nos Aflitos, e se distancia do Z4