Procurador do STJD pedirá interdição de São Januário após morte de torcedor em partida entre Vasco e

Cenas de guerra ocorreram após partida entre Vasco e Flamengo. Três pessoas acabaram baleadas

Violência no jogo entre Vasco e FlamengoViolência no jogo entre Vasco e Flamengo - Foto: FramePhoto/Folhapress

Com a confusão depois da partida entre Vasco e Flamengo, em São Januário, no sábado (8), que terminou com um torcedor morto, o procurador-geral do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Felipe Bevilacqua, vai pedir, nesta segunda-feira (10), a interdição do estádio, a casa do Vasco. 

As cenas de guerra tiveram início logo após o resultado de 1 a 0 para o rubro-negro carioca. Torcedores tentaram invadir o campo, outros jogaram bombas em campo. Houve depredação e brigas na arquibancada.

Os jogadores dos dois times tiveram que ficar cercados pela polícia no meio do gramado e só foram para os vestiários após 20 minutos. A polícia usou gás de pimenta para tentar controlar a situação, mas a briga também foi para fora do estádio.

Os torcedores vascaínos ficaram revoltados com o resultado e, após o apito final, começaram a jogar diversos objetos no gramado, inclusive bombas. Algumas pessoas tentaram até invadir o gramado, mas sem sucesso.

Quando a Polícia Militar tentou intervir, os vascaínos passaram a brigar na arquibancada e depredar o estádio. Até torcedores que não estavam envolvidos na confusão ficaram sem ter para onde ir. Houve cenas de guerra, com crianças chorando, mulheres desesperadas e gente caída por causa da briga e do gás de pimenta usado pelos policiais.

O óbito foi confirmado pela Polícia Militar, que não informou a identidade nem o time pelo qual ele torcia. A pessoa, de 27 anos, foi atingida no lado de fora do estádio de São Januário. Além do torcedor morto, outros três foram baleados e deram entrada no Hospital Souza Aguiar. 

Veja também

Internacional vence sexta seguida e fica a um ponto do líder São Paulo
Campeonato Brasileiro

Internacional vence sexta seguida e fica a um ponto do líder São Paulo

Presença de atletas formados na base cresce 25% em Brasileiro na pandemia
Futebol

Presença de atletas formados na base cresce 25% em Brasileiro na pandemia