A-A+

Projeto gera talentos para futebol e oferta visibilidade

Iniciativa do Instituto Geração 4 leva modalidade para jovens do Recife com suporte de equipe multidisciplinar

Iniciativa foi lançada ontem no Clube LíbanoIniciativa foi lançada ontem no Clube Líbano - Foto: Jose Britto

A bola já vem rolando há um mês, mas nesta-feira (07) foi o dia de estrear os uniformes e fazer o lançamento oficial do projeto Gerando Futebol, ação mais recente do Instituto Geração 4, coordenado pelo jogador de futebol de areia pernambucano, Fernando DDI. A iniciativa prevê uma escolinha de futebol society para jovens com idade entre 10 e 17 anos, oriundos de 10 escolas da rede pública e de quatro da rede privada. As aulas acontecem na Arena Guga Soccer, localizada dentro do Clube Líbano, no bairro do Pina. Os 120 alunos são divididos por faixa etária e há também um nivelamento técnico para separar as turmas, que têm treinos às segundas, quartas e sextas pela manhã e às terças e quintas à tarde. O preenchimento das vagas foi feito após visitas de divulgação nas instituições de ensino, convidando os interessados para se inscreverem. No momento, não há mais vagas disponíveis.

Leia também:
Fernando DDI fará 100 jogos com a seleção de beach soccer

A execução do projeto tem o suporte de patrocínio da Norsa Refrigerantes S.A (Coca-Cola), através da Lei Estadual de Incentivo ao Esporte, com contrato até o dia 30 de outubro. Esse prazo, contudo, não significa encerramento do trabalho, haja vista a chance de renovação, de novo parceiro, entre outras opções. O Geração 4, por sinal, não é novato nesse tipo de atividade. O Instituto aprovou, no ano passado, o Gerando para o Esporte, voltado para a iniciação no futebol de areia. E, embora o contrato com a Gatorade/Ambev, parceira inicial pela Lei Estadual de Incentivo, tenha encerrado, as aulas continuam acontecendo e já há um novo parceiro engatilhado.

Assim como o projeto realizado no futebol de areia, a ação no campo society também não está restrita aos limites da quadra. Há uma equipe de colaboradores que atuam de forma multidisciplinar, com, entre outras coisas, suporte psicológico, alimentar e aulas de música e inglês. “Ter um projeto como esse e o exemplo de DDI (multicampeão com a seleção brasileira e também com times da Europa) é um estímulo. E também dá atividade, a gente não está na rua”, diz o aluno Emanuel Douglas, de 14 anos.

Feminino
Uma das exigências de DDI na concepção do Gerando Futebol foi dar abertura para um time feminino sem exigência de faixa etária. “Em locais de vulnerabilidade, as meninas são ainda mais frágeis. Embora tenham mais idade, são meninas, muitas foram mães cedo, então não podíamos limitar esse espaço, a oportunidade de terem uma estrutura, poderem jogar campeonatos”, diz o coordenador. A equipe feminina do projeto tem atletas que jogam ou já jogaram em clubes locais. É o caso de Isis Silva, de 27 anos, que está disputando o Brasileirão com o Sport. “O projeto nos dá mais visibilidade, valoriza”, diz ela. Ana Rebeca, de 21, é outra que já esteve no Nacional, com o Náutico e com o Vitória de Santo Antão. Através do projeto, elas estão competindo torneios de Fut7 com a camisa do Instituto Geração 4. Foram campeãs pernambucanas recentemente e agora se preparam para a Copa do Nordeste. Participarão ainda do Recife Bom de Bola, promovido pela Prefeitura do Recife, nas modalidades campo e futsal. “É uma oportunidade única de competir, de ser valorizada”, fala Larissa Albuquerque, de 25. No total, são 28 meninas treinando no projeto.

Lei de Incentivo
O Gerando Futebol é uma das ações realizadas por intermédio da Lei Estadual de Incentivo ao Esporte. Além dele, outro projeto de caráter social está em execução através dessa plataforma, o Sacando Juntos com Lula do Vôlei, de vôlei de praia. Em ações pontuais, foram realizados em 2019 o Oi Hang Loose Pro Contest, campeonato de surfe em Fernando de Noronha, a construção de quadras de futebol em Garanhuns e no Cabo de Santo Agostinho junto à Lov.Football, e a realização dos Jogos Escolares e Universitários do Estado. “O objetivo com a Lei é justamente mesclar grandes eventos com projetos sociais, pois estão atrelados. Precisamos de eventos que estimulem a prática esportiva, e projetos que gerem oportunidade de praticar um esporte”, explica o secretário de Educação e Esportes do Estado, Fred Amancio. “Hoje vivemos um dos melhores cenários no desporto local. As empresas estão procurando mais os projetos. É bom para todo mundo. A empresa não gasta, porque é desconto fiscal, o governo só faz relocação de receita, e as instituições que não tinham condições de realizar ações passam a ter”, completa o executivo de Esportes do Estado, Diego Pérez.

Veja também

Marcelo Chamusca deixa o comando do Náutico após pouco mais de um mês no clube
FUTEBOL

Marcelo Chamusca deixa o comando do Náutico após pouco mais de um mês no clube

Náutico não contará com zagueiros titulares diante do Remo
Desfalques

Náutico não contará com zagueiros titulares diante do Remo