Promessas pernambucanas para Copinha 2019

Sport, Santa Cruz, Náutico e Porto disputarão torneio de base a partir do dia 2 de janeiro

Tiago foi o autor do gol alvirrubro no amistosoTiago foi o autor do gol alvirrubro no amistoso - Foto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco

Nenhum clube pernambucano conseguiu até hoje levantar a taça da Copa São Paulo de Futebol Júnior. Mas, ao longo das 49 edições já disputadas, as equipes tiveram em seus respectivos elencos alguns nomes que, meses ou anos depois, se destacaram tanto nos clubes formadores como também em outros times dentro e fora do Brasil.

O Santa Cruz revelou no passado recente o meia Raniel, atualmente no Cruzeiro/MG e que pode ir para o Grêmio/RS na temporada 2019. O pernambucano de 22 anos despontou na Cobra Coral em 2014, quando disputou a sua primeira Copa São Paulo. Na ocasião, o garoto tinha apenas 17 anos. O atleta se transferiu para o Cruzeiro/MG em maio de 2016. Além de Raniel, o Santa também revelou a dupla Válber e Rivaldo, em 1992.

Para a Copinha de 2019, a grande promessa do Santa é o atacante Paulo Victor, que tem 18 anos. Além dele, outros destaques do elenco Sub-20 são o lateral-direito Warley (19 anos) e os atacantes Wallyson Pequeno (19 anos) e Adriano Napão (18 anos). Com uma média de idade jovem, de 18 anos, o grupo tem a confiança do técnico Rômulo Oliveira, que espera que a garotada aproveite a maior competição de base do futebol brasileiro para ganhar visibilidade.

Em 1997, o atacante Irani foi a principal revelação do Sport na Copinha. Ao lado de Vitor, do Vasco, o rubro-negro foi o artilheiro da competição, com sete gols, ajudando o Leão a chegar até as quartas de final - melhor desempenho leonino na história do torneio juntamente com a campanha de 2016. Na última grande campanha, em 2016, o Sport teve como destaques o zagueiro Adryelson, o meia Fábio e o atacante Wallace. Desse trio, apenas Adryelson permanece entre os profissionais do clube.

No Náutico, Erick foi o destaque mais recente a pintar na Copa São Paulo de Futebol Júnior. Após chamar atenção no torneio de base em 2017, o jogador foi alçado aos profissionais e, em poucos meses, virou referência ofensiva da equipe. No mesmo ano, ele foi vendido ao Braga, de Portugal, por aproximadamente R$ 3 milhões. Neste ano atuou pelo Vitória, na Série A. Vale citar que Douglas Santos, também formado no Timbu, não jogou a Copinha pelos alvirrubros, saindo do sub-17 diretamente para o time principal.

O Porto já revelou alguns atletas que vestiram a camisa amarelinha, casos do ex-volante Josué e do ex-atacante Araújo. Mas quem ganhou destaque após uma Copinha foi o volante Rômulo, hoje no Flamengo. Em 2007, o atleta integrou o grupo do Gavião no torneio. Anos depois, ganhou notoriedade com as camisas do Vasco e do Spartak /RUS, chegando a ser convocado algumas vezes para a Seleção Brasileira.

Leia também:
Santa inaugura CT com evento e campo recebe jogos e treino
Tiago estreia fazendo história nos Aflitos

Veja também

Após nova intervenção decisiva do VAR, Sport perde no Rio para o Fluminense por 1 a 0
Sport

Após nova intervenção decisiva do VAR, Sport perde no Rio para o Fluminense por 1 a 0

Jogador do Avaí, Valdivia, entra em campo com Covid-19
Futebol

Jogador do Avaí, Valdivia, entra em campo com Covid-19