ESTADOS UNIDOS

"Quando vamos fazer algo?": Steve Kerr, técnico do Warriors, se emocionado após ataque em escola

Líder da equipe de basquete se recusou a falar sobre o esporte em entrevista coletiva e protestou contra violência armada nos EUA

"Quando vamos fazer algo?": Steve Kerr, técnico do Warriors"Quando vamos fazer algo?": Steve Kerr, técnico do Warriors - Foto: NOAH GRAHAM / NBAE / GETTY IMAGES / GETTY IMAGES VIA AFP

Leia também

• Ataque a tiros em escola no Texas mata 14 alunos e um professor, diz governo

• Sobe para 21 o número de mortos, entre eles 18 crianças, em ataque a tiros em escola no Texas

• Papa, com o "coração partido" após massacre no Texas, critica comércio de armas "sem controle"

O técnico da equipe de basquete Golden State Warriors, Steve Kerr, fez um apelo por medidas mais rígidas contra a violência armada nos Estados Unidos após a morte de 21 pessoas, incluindo 19 crianças, em um ataque a tiros na escola primária Robb em Uvalde, no estado americano do Texas. Kerr se recusou a falar sobre basquete na entrevista coletiva antes do jogo 4 dos Warriors contra o Dallas Mavericks e decidiu se posicionar sobre a tragédia.

— Nos últimos 10 dias, tivemos idosos negros mortos em um supermercado em Buffalo, tivemos fiéis asiáticos mortos no sul da Califórnia, agora temos crianças assassinadas na escola. Quando vamos fazer alguma coisa? Estou cansado. Estou cansado de subir aqui e dar condolências às famílias devastadas que estão lá fora... Estou cansado dos momentos de silêncio. Chega! — ressaltou.

HKerr também criticou a demora para o Senado americano votar uma nova legislação que prevê a checagem de antecedentes criminais de cidadãos que decidem comprar armas. O projeto foi aprovado na Câmara no ano passado, mas até hoje não saiu do papel.

 

— Há 50 senadores que se recusam a votar no H.R. 8, que é uma regra de verificação de antecedentes que a Câmara aprovou há alguns anos. Há uma razão para eles não votarem isso: manter no poder. Estou farto. Já tive o suficiente — ressaltou o técnico, sujo pai foi assassinado por homens armados em 1984, quando trabalhava como presidente da Universidade Americana de Beirute.

— Nós vamos jogar o jogo hoje à noite. Mas eu quero que cada pessoa aqui, cada pessoa ouvindo isso, pense em seu próprio filho ou neto, mãe ou pai, irmã, irmão. Como você se sentiria se isso acontecesse com você hoje? — questionou.

O armador dos Warriors, Damion Lee, juntou-se a Kerr para pedir a reforma das armas em entrevista e houve um momento de silêncio antes do jogo em Dallas.

— Obviamente, todo mundo viu o que Steve disse no pré-jogo. Sinto o mesmo que ele. É triste o mundo em que vivemos. Precisamos reformar isso. As armas não deveriam ser tão facilmente acessíveis. Tipo, é mais fácil conseguir uma arma do que fórmula infantil agora. Isso é inacreditável neste país em que vivemos — lamentou Lee.

A NBA disse em um comunicado que está "devastada pelo ataque horrível que ocorreu hoje em Uvalde, Texas", enquanto o técnico do Mavs, Jason Kidd, disse antes do jogo que seu time jogaria "com um peso no coração".

Veja também

Corinthians desafia Boca por vaga às quartas de final da Libertadores; veja onde assistir
Futebol

Corinthians desafia Boca por vaga às quartas de final da Libertadores; veja onde assistir

Comedor campeão de hot dog briga com ativistas veganos por uso de salsicha nos EUA
Competição

Comedor campeão de hot dog briga com ativistas veganos por uso de salsicha nos EUA