Quem rendeu e quem ficou devendo no Sport em 2018

Nomes contratados a peso de ouro pelo Sport deixaram a desejar, enquanto algumas caras novas surpreenderam

Adryelson voltará a ser titularAdryelson voltará a ser titular - Foto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

Foi uma verdadeira montanha-russa, mas que terminou em baixa. Assim pode ser resumida a trajetória do Sport no Brasileirão 2018. De vice-líder nas primeiras rodadas, o Leão chegou a despencar para o posto de vice-lanterna. Em seguida, ganhou novo fôlego com a chegada de Milton Mendes e conseguiu elevar consideravelmente o seu aproveitamento, mas não foi o suficiente para escapar do rebaixamento para a Série B.

Entre mortos e feridos, porém, seria injusto dizer que nada serviu no elenco leonino. Em um balanço geral, é possível "resgatar" algumas peças dessa catástrofe rubro-negra, que culminou na queda de divisão após cinco anos disputando a elite nacional. Com base nas 38 rodadas, a Folha de Pernambuco fez um balanço sobre as peças que se salvaram e as que decepcionaram a torcida do Sport.

   Aprovados

Mateus Gonçalves - Contratado junto ao Tijuana, do México, o veloz atacante de 24 anos se destacou nos 14 jogos que fez pelo Sport. Sua estreia aconteceu apenas na 23ª rodada, mas Mateus só conseguiu uma boa sequência com a chegada de Milton Mendes. Marcou três gols, nas vitórias contra Internacional, Vasco e Grêmio, deixando uma boa impressão. Tem contrato com o clube até maio de 2019.

Adryelson - Outro "lançamento" de Milton Mendes. Revelado na base do Sport, fez sua estreia apenas na 28ª rodada, na vitória contra o Internacional, marcando um gol. Apesar da baixa estatura para zagueiro (1,82m), destacou-se pela forte impulsão e senso de colocação, além da agilidade por baixo. Tem contrato até dezembro de 2020.

Ernando - Sem firula, joga sério o tempo todo e ganhou respeito por isso. Terminou o ano como titular e curinga do time, atuando nas laterais sempre que preciso. Tem contrato encerrando esse ano, mas mostrou interesse em permanecer.

Jair - Contratado junto ao Juventude, mas formado nas categorias de base do Internacional, o volante de 24 anos se destacou pela versatilidade, aliando a marcação com a boa saída de bola. Tem contrato até dezembro de 2019.

Gabriel - Um dos mais regulares na temporada, atuou em 47 jogos e terminou como vice-artilheiro do clube na temporada, com seis gols marcados. Aos 28 anos, pertence ao Flamengo e encerra contrato com o Sport no final deste ano. Não deve ficar.

   Ficaram devendo

Marlone - Contratado como uma das estrelas para a temporada 2018, Marlone nem de longe conseguiu repetir o ano de 2015, na primeira passagem. Logo perdeu a posição de titular e ainda foi atrapalhado por lesões.

Ronaldo Alves - Irregular, também sofreu com lesões. Com contrato até 2020, tem um salário considerado alto e não deve ser aprovado no custo-benefício, devendo ser emprestado.

Rogério - Um dos mais altos salários do elenco e contratação mais cara da história do Sport, continua sofrendo com constantes lesões e pouca produtividade. Disputou 36 jogos neste ano e marcou apenas três gols. Tem contrato até maio de 2021 e também deve ser emprestado.

 

Veja também

Santa prolonga contrato de trio para jogo contra o Itabaiana
Futebol

Santa prolonga contrato de trio para jogo contra o Itabaiana

Barça vence Rayo Vallecano de virada e vai às quartas da Copa do Rei
Futebol

Barça vence Rayo Vallecano de virada e vai às quartas da Copa do Rei