Futebol

Reforçado e mirando em reação, Santa recebe CSE, no Arruda

Duelo é válido pela sexta rodada do Grupo 4 da Série D do Campeonato Brasileiro

Marcelo Martelotte, técnico do Santa CruzMarcelo Martelotte, técnico do Santa Cruz - Foto: Alexandre Aroeira/Folha de Pernambuco

A primeira fase da Série D do Campeonato Brasileiro é um torneio de tiro curto. Basta dizer que, com apenas cinco jogos disputados pelo Grupo 4, o Santa Cruz já ultrapassou um terço da caminhada rumo à classificação à etapa seguinte. Faltam apenas nove partidas para o Tricolor saber se continuará vivo, sonhando com o acesso, ou se o futebol terminará em julho, com um futuro apontando mais uma temporada na quarta divisão. Por isso, não é apenas clichê falar que o confronto deste domingo (22), perante o CSE, no Arruda, tem clima de decisão. Assim como todo compromisso que a Cobra Coral terá até o fim de 2022. 

Os nomes dos zagueiros Alemão e Doni, do meia Guilherme e do atacante Lucas Silva foram publicados no Boletim Informativo Diário (BID) da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Com isso, o quarteto está regularizado e fica à disposição do técnico Marcelo Martelotte para o duelo.

“Desde o início, a gente entendia que precisava ter uma qualificação do elenco, com a chegada de jogadores com a motivação lá em cima, querendo muito jogar no Santa Cruz. Alguns já conhecíamos de trabalhar junto. Todo grupo está sujeito a essas reformulações, com novos atletas, principalmente quando você entende que precisa evoluir. Os que estão chegando não terão muito tempo de se preparar, com uma pré-temporada, e precisaremos acelerar algumas situações. O importante é que eles chegam com o objetivo de ajudar e com vontade de estar em campo”, afirmou Martelotte.

O treinador já trabalhou com Alemão, também no Santa Cruz, em passagem anterior da dupla pelo clube. “Comentamos muito sobre essa identidade. Não tínhamos algum do elenco com essa identidade e Alemão chega com isso, tendo uma passagem vencedora aqui. Já sabe como é jogar no Santa e pesamos isso na hora de trazê-lo de volta. Já Doni trabalhou comigo no Taubaté/SP e conheço também as características. Esses são atletas em que podemos adiantar esse processo (de estreia)”, explicou. O Tricolor é o sétimo da chave, com quatro pontos.



Melhor ataque da Série D

Com 12 gols marcados em cinco jogos, o CSE tem o melhor ataque não somente do Grupo 4 como também de toda a Série D. O clube, da cidade de Palmeira dos Índios, distante 136 km de Maceió, disputa pela primeira vez uma competição nacional e luta pelo acesso à Série C. Atualmente, a equipe está em quinto, com sete pontos.

Ficha técnica

Santa Cruz
Kléver, Ratinho, Alex Alves, Alemão e Ítalo Silva; Gilberto, João Erick e Guilherme Castro; Marcelinho, Tarcísio e Furtado.Técnico: Marcelo Martelotte

CSE
Jerfesson; Janelson, Salazar, Hugo e Izaldo; Amaral, Marco Antônio, Edinho e Júnior Timbó; Rômulo e Matheus Régis.Técnico: Betinho

Local: Arruda (Recife/PE)
Horário: 16h
Árbitro: Robson Babinski (PR). Assistentes: José Daniel Torres de Araujo e Elaise Juliana Santana Ferreira (ambos de PE)
Transmissão: InStat

 

Veja também

Sander reforça importância de mando de campo na Série B
Futebol

Sander reforça importância de mando de campo na Série B

Kieza é exceção: Souza tem mais gols nos últimos dois anos do que quase todos atacantes do Náutico
Futebol

Kieza é exceção: Souza tem mais gols nos últimos dois anos do que quase todos atacantes do Náutico