Reincidente, CBF tenta se prevenir de gritos de 'bicha' contra a Argentina

O Brasil foi multado por gritos homofóbicos nas partidas contra Colômbia e Bolívia

Até o início da semana, ainda sobravam 9.000 ingressos a serem comercialziados para a  partida  no MineirãoAté o início da semana, ainda sobravam 9.000 ingressos a serem comercialziados para a partida no Mineirão - Foto: Fernando Torres / CBF

Após ter sido multada duas vezes nos últimos meses por gritos homofóbicos durante jogos das eliminatórias da Copa de 2018, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) toma atitudes para se prevenir de novas punições após jogo no Mineirão. O cuidado especial também está relacionado ao adversário desta quinta-feira (10), a Argentina, devido à rivalidade histórica entre as seleções.

Antes da partida, será lida uma mensagem que procura desencorajar manifestações de intolerância por parte dos torcedores. "Atenção, torcedor brasileiro. Vamos celebrar o respeito entre os povos. Nesta noite, os argentinos são apenas os nossos adversários. Vamos respeitar os jogadores e todos os membros da comissão técnica. Qualquer atitude de falta de respeito pode prejudicar a seleção brasileira nas eliminatórias. O futebol é a nossa maior paixão e combina com festa, alegria e respeito ao adversário. Somos iguais, somos todos futebol", dirá a mensagem.

Por gritos de "bicha" durante os tiros de meta nas partidas contra Colômbia, em Manaus, e Bolívia, em Natal, a CBF já recebeu multas nos valores de R$ 66 mil e R$ 83 mil, além de uma advertência. No entanto, a maior preocupação é com punições mais drásticas, como a que já aconteceu com a Federação Chilena, sancionada sete vezes. Caso mais extremo, os chilenos foram proibidos de mandarem uma de suas partidas no estádio Nacional. Argentina, Peru e Uruguai também já foram multados e advertidos pela entidade pelo grito de "puto" de seus torcedores quando o goleiro rival cobra o tiro de meta. O México, na Concacaf (confederação das Américas do Norte e Central), também já foi punido por essa razão.

Nos países de língua espanhola, "puto" é uma maneira pejorativa de se referir a homossexuais. No México, pelo menos desde 2004, quando o arqueiro do time contrário se prepara para repor a bola em jogo, os torcedores iniciam o canto com um longo "eee" e finalizam com o "puto" quando o tiro de meta é batido. Nos últimos anos, com clubes do México na Libertadores, os brasileiros passaram a fazer o mesmo, trocando o "puto" por "bicha". Torcedores do Corinthians foram os primeiros a importar a hostilidade, geralmente dirigida ao então goleiro do São Paulo, Rogério Ceni. Durante a Copa do Mundo de 2014, os gritos foram frequentes e desde então foram adotados não somente por membros de torcidas organizadas -durante a Olimpíada deste ano, eles aconteceram em quase todos os jogos de futebol do evento.

Além da mensagem no telão, terá continuidade a ação da campanha "Somos Todos Iguais", pré-existente, com a exposição de recados contra manifestações racistas em camisetas, banners e faixas.

Brasil e Argentina se enfrentam no Mineirão nesta quinta-feira (10), às 21h45. A seleção brasileira lidera a classificação das eliminatórias, com 21 pontos, ao passo que a Argentina ocupa a sexta colocação, com 16 pontos.

Veja também

Executivo de futebol explica modelo de trabalho que será montado no Náutico
Futebol

Executivo de futebol explica modelo de trabalho que será montado no Náutico

Técnico do PSG confirma lesão de Neymar e prevê volta após três semanas
De molho

Técnico do PSG confirma lesão de Neymar