Remanescente da queda em 2017, Jefferson comemora reviravolta

Goleiro do Náutico foi um dos protagonistas na campanha do título da Série C do Campeonato Brasileiro 2019

Jefferson, goleiro do NáuticoJefferson, goleiro do Náutico - Foto: Léo Lemos/Náutico

De todos os participantes do Náutico na campanha do acesso à Série B, o goleiro Jefferson tem uma das histórias de maior superação. O goleiro era, ao lado do zagueiro Rafael Ribeiro e do centroavante Rafael Oliveira, um dos remanescentes do rebaixamento da clube à Série C, em 2017. Diferente dos demais, ele foi titular em toda a reta final de 2019, carregando consigo um peso que durou dois anos. Neste ano, veio a volta por cima. Após empréstimos para Atlético/GO e Joinville, o camisa 1 retornou ao Timbu, conquistando o título da terceira divisão e recolocando o Alvirrubro na Segundona.

“Fico feliz pelo reconhecimento de todos. Eu estava aqui naquele ano difícil do clube. Fiquei muito triste por ser da cidade e formado no Náutico. Mas agora estou realizado por essa reviravolta. Espero que ano de 2020 seja ainda melhor. Estou de férias, mas continuo com os trabalhos de musculação e corrida para não chegar zerado na pré-temporada”, afirmou Jefferson. “Hoje eu me sinto mais maduro. Algumas vezes você quer fazer apenas o feijão com arroz para não comprometer. Depois que você amadurece, eu vi outros tipos de metodologia e pude arriscar mais em alguns lances”, completou.

O protagonismo de Jefferson em 2019 veio principalmente nos dois primeiros mata-matas da Série C, nas quartas e semifinais. Nos dois casos, o Náutico não conseguiu a classificação no tempo normal, definindo seu futuro nas penalidades. Contra Paysandu e Juventude, respectivamente, o camisa 1 pegou um pênalti cada.

“Todos os jogos em 2019 foram especiais, mas o contra o Paysandu é difícil esquecer. Nunca tive uma emoção como aquela”, frisou, elogiando o planejamento do Timbu para 2020. “Manter a base, com os pés no chão, é importante. Essa diretoria sempre honrou os compromissos, com os salários em dia e isso é muito importante. Não adianta oferecer rios de dinheiro se não puder honrar. Sabemos que, mesmo com a conquista, não é possível ficar todos, mas é fundamental ter pelo menos uma base”, apontou.

Ao retornar ao Náutico em 2019, Jefferson encontrou um velho conhecido, o preparador de goleiros Gilberto, que já havia trabalho com o arqueiro alvirrubro anos antes, nas categorias de base. Uma parceria que não acontecerá em 2020, já que o profissional deixou o clube na semana passada. “Isso me pegou de surpresa. Imaginei que ele ficaria até por conta do meu desempenho. Falei com Gilberto depois e ele me agradeceu pelo profissionalismo. Continuaria trabalhando com ele, mas o clube tomou essa decisão e precisamos respeitar. Desejo sucesso e felicidade para ele”, pontuou.

Leia também:
Náutico: Inscrições de chapas da eleição começam nesta segunda
Jean Carlos projeta 2020 com mais títulos pelo Náutico

Veja também

Santa Cruz anuncia saída do volante André
Santa Cruz

Santa Cruz anuncia saída do volante André

Argentino Jorge Sampaoli é o novo técnico do Olympique de Marselha
Futebol Internacional

Argentino Jorge Sampaoli é o novo técnico do Olympique de Marselha