Rentabilidade é trunfo do Nordestão em futuro retorno pós-pandemia

Presidente da Liga do Nordeste, Eduardo Rocha, reforçou que as cotas do torneio serão importante para os clubes

Sport x Santa CruzSport x Santa Cruz - Foto: Anderson Stevens/Sport Club do Recife

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e os clubes têm se reunido com frequência, via videoconferência, para debater o futuro do esporte pós-pandemia do novo coronavírus. Direitos internacionais, reduções salariais, contratos televisivos e tantos outros temas foram e ainda estão em análise. A discussão central, porém, gira em torno do retorno das atividades. O calendário apertado requer uma avaliação cuidadosa. Recentemente, em entrevista ao Diario de Pernambuco, o presidente da Federação Pernambucana de Futebol, Evandro Carvalho (FPF), chegou a dizer que a Copa do Nordeste poderia ser suspensa para o ano seguinte para priorizar os torneios estaduais e nacionais, citando a falta de datas e o fato de o Regional ser um certame privado como explicações para decisão. Em contato com a Folha de Pernambuco, o presidente da Liga do Nordeste, Eduardo Rocha, expôs sua visão sobre tal possibilidade.

"A decisão de ter ou não a Copa do Nordeste é da CBF. Não é minha, nem de Evandro ou qualquer federação estadual. Acredito que a entidade terá a sensibilidade de tomar a melhor decisão que, na minha opinião, seria manter todas as competições", afirmou Rocha. O mandatário aproveitou para reforçar o peso financeiro do Regional em comparação com campeonatos locais. "Nossa copa é rentável, distribui dinheiro. E os estaduais? Eles são deficitários. Os clubes sabem que o Nordestão não pode parar. Repito: o ideal é encaixar tudo", afirmou.

Náutico, Santa Cruz e Sport são os representantes pernambucanos na Copa do Nordeste. Apenas pela participação, o Leão faturou R$ 2,2 milhões - o rubro-negro está presente no grupo 1, ao lado de Bahia, Vitória e Ceará, recebendo o valor máximo da cota cedida pela Liga. Timbu e Cobra Coral estão no grupo 2, embolsando a segunda maior quantia (R$ 1,7 milhão), assim como CRB e Fortaleza.

ABC/RN, CSA, Botafogo/PB e América-RN, todos do grupo 3, ganharam R$ 1,5 milhão. No bloco mais baixo, Confiança, River/PI, Imperatriz/MA e Freipaulistano/SE ficaram com R$ 775 mil. Quem avançar para as quartas de final receberá mais R$ 300 mil. Os semifinalistas lucrarão mais R$ 375 mil. Por fim, os finalistas garantem R$ 500 mil, com o campeão abocanhando mais R$ 500 mil, além de conquistar uma vaga às oitavas de final da Copa do Brasil de 2021. Pelo Campeonato Pernambucano, os integrantes do Trio de Ferro da capital receberam R$ 1 milhão. Diferente do Regional, o Estadual não concede premiação extra em caso de classificação para o mata-mata.

A Copa do Nordeste foi paralisada faltando uma rodada para o término da primeira fase. O Sport (5º do Grupo A) enfrentará o Confiança (1º do B), na Ilha do Retiro. O Náutico (3º do B) visita o Bahia (2º do A), na Arena Fonte Nova, enquanto o Santa Cruz (5º do B) pega o River/PI (8º do A), no Albertão. Os quatro melhores de cada chave avançam ao mata-mata. As quartas e semifinais serão disputadas em jogo único. A decisão terá partidas de ida e volta.

Leia também:
Copa do Nordeste: Liga reduz repasse a clubes em meio à pandemia
Copa do Nordeste oficializa suspensão do torneio

Veja também

CBF antecipa jogo entre Sport e RB Bragantino pelo Brasileiro
Sport

CBF antecipa jogo entre Sport e RB Bragantino pelo Brasileiro

Medina avança à semifinal do surfe nas Olimpíadas
Jogos Olímpicos

Medina avança à semifinal do surfe nas Olimpíadas