"Retrocesso ao futebol", diz Romário sobre veto ao VAR

Somente na Copa do Brasil, o árbitro de vídeo estará disponível e será bancado pela CBF

Ex-jogador e hoje senador, RomárioEx-jogador e hoje senador, Romário - Foto: Roque de Sá/Agência Senado

O senador e ex-atacante Romário criticou o veto à implantação do sistema eletrônico na arbitragem nacional. Romário entende que o afastamento da aparelhagem é um "retrocesso ao futebol".

"A maioria dos clubes da Série A foi covarde ao não aprovar a implantação do 'árbitro de vídeo' no Brasileirão. Se a CBF é a promotora por que não bancar as despesas com o 'árbitro de vídeo'? Para onde vai o dinheiro que recebe dos patrocinadores?", escreveu Romário, nas redes sociais.

O Campeonato Brasileiro de 2018 não contará com a tecnologia do árbitro de vídeo. Em reunião do conselho arbitral ocorrida na segunda-feira (5), no Rio de Janeiro, os clubes da elite do futebol nacional reprovaram o uso do sistema na competição mais importante do calendário no país. Somente na Copa do Brasil, o VAR estará disponível -e bancado pela CBF.

Dos 20 participantes da Série A, 12 votaram contra a utilização do árbitro de vídeo no Campeonato Brasileiro (Corinthians, Santos, América-MG, Cruzeiro, Atlético-MG, Atlético-PR, Paraná, Vasco, Fluminense, Sport, Vitória e Ceará). Sete clubes se mostraram favoráveis ao uso da tecnologia: Bahia, Botafogo, Chapecoense, Flamengo, Grêmio, Internacional e Palmeiras. O São Paulo não votou, já que o representante tricolor deixou a reunião antes da votação.

Leia também:
Árbitro de vídeo custaria menos de 10% das bilheterias 
Clubes reprovam árbitro de vídeo no Brasileirão

Segundo Sergio Correa, responsável por liderar os estudos sobre o sistema na CBF, os clubes contrários ao uso do VAR apresentaram diversos argumentos. A tecnologia entraria em ação somente depois da Copa do Mundo, no segundo semestre.

"Não foi exatamente a questão do custo. Teve clube que argumentou com a questão técnica, outro falou de testes, alguns de custos. Uma pena. Mas vamos seguir trabalhando para ter", afirmou Correa.

De acordo com o estudo da entidade, o custo da instalação do VAR ficaria entre R$ 40 mil e R$ 50 mil por jogo. O valor financeiro, segundo Manoel Serapião, atrapalhou as negociações para usar o sistema neste ano.

Veja também

Flamengo vence Fluminense no primeiro jogo da decisão do Carioca
Futebol

Flamengo vence Fluminense no primeiro jogo da decisão do Carioca

Com dois de Neymar, PSG faz nove em amistoso
Futebol Internacional

Com dois de Neymar, PSG faz nove em amistoso