Roberto deseja salvar ano do Santa Cruz e sabe dos problemas

Apresentado oficialmente como novo técnico do Santa Cruz, Roberto Fernandes pede reflexão, fala sobre temperamento e diz que não se vê como uma medida de emergência

Campeão pernambucano este ano, Roberto Fernandes foi demitido do Náutico e foi parar no Santa CruzCampeão pernambucano este ano, Roberto Fernandes foi demitido do Náutico e foi parar no Santa Cruz - Foto: Ed Machado/Folha de Pernambuco

 

Terceiro treinador do Santa Cruz em 2018, Roberto Fernandes chega ao Arruda para tentar salvar a temporada. Após ser campeão pernambucano este ano pelo Náutico, encerrando um jejum de título que durou 13 anos, o técnico sonha em conquistar o acesso à Série B pela Cobra Coral. Apesar de confiar no sucesso, o comandante sabe que há problemas internos devido às mudanças constantes em cinco meses, mas não acha que a sua contratação seja uma medida de emergência da diretoria de futebol. Dos males, o menor é que o Santa está no páreo no Brasileiro da Série C, onde ocupa a 5ª posição. O recém-contratado foi apresentado oficialmente, concedeu entrevista coletiva e comandou o seu primeiro treinamento. Já com a mão na massa, a estreia dele está marcada para a próxima segunda-feira (28), contra o Confiança/SE, no estádio Batistão, em Aracaju, pela sétima rodada.

Trocas

Estamos em maio, quinto mês do ano, e eu sou o terceiro técnico do clube. Então é preciso entender que os atletas, a diretoria e, sobretudo, a torcida precisam se unir. Caso o nosso trabalho não dê certo, acho muito difícil um acesso. Uma nova troca de treinador dificultaria ainda mais. Futebol é resultado. Se estou vindo para ser o terceiro comandante, algo não está legal. Vamos fazer uma reflexão.

Momento

Não me vejo como um ‘bombeiro’. O Santa sofreu fracassos na temporada e as eliminações contribuíram para tantas mudanças de técnico. Mas na Série C a gente se encontra numa boa posição. Com uma vitória, podemos voltar para a zona de classificação. Não tem desespero aqui, mas até o momento foram mais dissabores do que alegrias.

Conhecimento

Enfrentei o Santa Cruz duas vezes nesta temporada (no Campeonato Pernambucano e no Brasileiro). Fiz algumas análises, na ocasião, sobre a equipe. A Série C é uma competição extremamente equilibrada e talvez seja a mais disputada entre as quatro divisões. Camisa, tradição e força não são suficientes para subir. O campeonato está totalmente em aberto. Conheço a divisão e nós temos potencial para encaminhar a classificação.

Temperamento

A única coisa que me incomoda, na minha vida como um todo, é me tratarem de forma diferente dos demais. Vanderlei Luxemburgo, por exemplo, é torcedor declarado do Flamengo. Perguntaram numa entrevista algo sobre Flamengo e Sport... Ele cortou logo e nunca mais falaram no assunto, mas comigo sempre volta à tona. Todo mundo tem um time pra torcer. Não existe dúvida quanto à identificação de Renato Gaúcho pelo Grêmio e Parreira pelo Fluminense, entre tantos outros, mas parece que o carro-chefe de Roberto Fernandes é esse. Não falam do jejum de 13 anos que consegui encerrar com o Náutico. Não falam do jejum do Remo, de oito anos, e do América/RN, também de oito anos. O foco sobre mim é sempre o lado torcedor ou o temperamento. Pela sexta vez, vou trabalhar em dois clubes da mesma cidade.

Desafio

Pra mim é um orgulho muito grande estar comandando uma equipe que tem tanta tradição e uma torcida absolutamente apaixonada. Assim como aconteceu em outros estados, tenho a oportunidade de trabalhar em duas equipes rivais em Pernambuco. Com o mesmo respeito, aceitei o convite. Acho até que a minha vinda demorou um pouco porque já esperava que esse acerto tivesse acontecido um pouco antes.

Objetivo

A minha expectativa aqui no Santa Cruz é buscar repetir um feito que consegui na carreira por diversas vezes: uma volta por cima. Em 2016, por exemplo, assumi o Confiança na zona de rebaixamento da Série C e quase fiquei entre os quatro primeiros colocados após uma ótima campanha no returno. Mas o Santa não se encontra nessa situação. Até a rodada passada estava no G4. Então, a meta agora é se classificar para o mata-mata. 

Leia também: 

Roberto Fernandes nega problema com Ávila, mas faz alerta 

Santa Cruz inicia era Roberto Fernandes com reapresentação 

Roberto Fernandes esquece Timbu e comenta sobre temperamento 

Santa vai contratar reforços, mas espera análise de Roberto 

Perfil e extracampo: a escolha do Santa por Roberto Fernandes 

 

Veja também

Basta um empate: Náutico visita Cruzeiro podendo acabar com risco de queda à Série C
Futebol

Basta um empate: Náutico visita Cruzeiro podendo acabar com risco de queda à Série C

Algoz de Vasco e Bahia, Defensa y Justicia conquista Copa Sul-Americana
Futebol

Algoz de Vasco e Bahia, Defensa y Justicia conquista Copa Sul-Americana