Clássico dos Clássicos

Roberto e Dal Pozzo buscam vitória para espantar pressão sobre seus trabalhos

Treinador alvirrubro tenta tirar o time da parte inferior da tabela, enquanto rubro-negro quer melhorar números do ataque

Roberto Fernandes e Dal Pozzo, técnicos de Náutico e SportRoberto Fernandes e Dal Pozzo, técnicos de Náutico e Sport - Foto: Tiago Caldas/CNC e Anderson Stevens/Sport Club do Recife

Um domingo tranquilo, sem dor de cabeça por conta de uma derrota em clássico. Sem a pressão da torcida por ver seu time perder de um rival e, ainda por cima, se complicar na tabela - seja saindo do G4, no caso dos rubro-negros, ou se afundando mais na zona de rebaixamento, exemplo dos alvirrubros. Tudo que Roberto Fernandes e Gilmar Dal Pozzo esperam ter no fim de semana. Para isso, os técnicos de Náutico e Sport, respectivamente, sabem que precisarão de um triunfo no duelo de suas equipes, sábado, nos Aflitos, pela Série B do Campeonato Brasileiro.

Em termos de pressão, é certo que Roberto enfrenta um cenário mais conturbado do que o companheiro de profissão. Nada indica que Dal Pozzo cairia do cargo em caso de derrota. Já sobre o treinador alvirrubro, esse panorama é incerto, embora a postura dos dirigentes alvirrubros aponte atualmente para uma manutenção mesmo em tropeço. Difícil, contudo, seria conter a cobrança da torcida por uma evolução da equipe, além de pressionar por uma "dança das cadeiras" envolvendo atletas e membros do departamento de futebol.

Roberto já é o terceiro treinador que passa pelo Náutico em 2022, após as saídas de Hélio dos Anjos e Felipe Conceição. Com perfil motivador, chegou para ter um "efeito imediato" na autoestima da equipe, que disputaria a final do Campeonato Pernambucano. Deu certo, já que o título estadual veio, mas, na Série B, a história é diferente. Com dificuldade de manter uma base nas escalações, por conta de lesões e suspensões, além da chegada e saída de peças, o Timbu mal conseguiu repetir um padrão de jogo. Exibições irregulares que culminaram na atual situação, ocupando o 17° lugar da Segundona, com 12 pontos.

No caso do comandante rubro-negro, ganhar a confiança do torcedor é uma batalha diária. Desde que teve seu nome especulado para assumir o Leão, Dal Pozzo vem sofrendo com a rejeição da massa leonina. Mas, com o técnico, o Sport chegou à final da Copa do Nordeste de forma merecida, após despachar CSA e CRB, respectivamente, antes de perder para o Fortaleza em jogo duro na decisão. Na Série B, mesmo o clube marcando presença no G4 desde o início do campeonato, o catarinense de 52 anos ainda lida com as críticas.

Atualmente, o Sport é o quarto colocado da Segundona, com 19 pontos, e desde o jogo contra a Ponte Preta, há três rodadas, vem mostrando evolução no certame. A zaga tem sido um ponto forte do trabalho do técnico. Em 12 partidas, o time da Ilha do Retiro só foi vazado em duas oportunidades, tendo, assim, o segundo melhor sistema defensivo do campeonato. No entanto, o calcanhar de Aquiles tem sido o último terço do campo. Ao lado de equipes que figuram na parte inferior da tabela, o Leão tem o pior ataque da Série B, com apenas oito gols. Motivo que faz o torcedor questionar o trabalho de Dal Pozzo no comando do time.

Veja também

Com lesão muscular, Wellington não encara o Novorizontino
Futebol

Com lesão muscular, Wellington não encara o Novorizontino

Com contrato no fim, Bill está de saída do Sport
Sport

Com contrato no fim, Bill está de saída do Sport