Roberto Fernandes: "Esse jogo não é para ser esquecido"

Treinador não economizou nas críticas à postura da própria equipe

Roberto FernandesRoberto Fernandes - Foto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

A derrota do Náutico para o Central nesta tarde não pode ser encarada como um tropeço normal. Não era para menos. Apesar de ter tido pouco tempo de descanso para este duelo - o Timbu jogou na noite da sexta-feira passada (19) - o resultado de 3x0 incomodou profundamente o técnico Roberto Fernandes, que não poupou críticas à postura de seus comandados.

"O perfil da nossa equipe pode não ser um primor no que diz respeito a talento e inspiração, mas não pode faltar garra, raça, transpiração, independente da sequência de jogo. Se fosse isso, ganhávamos o primeiro tempo e perderíamos o segundo. É preciso botar o rabinho entre as pernas, lamber as feridas e trabalhar muito, porque esse jogo não é para ser esquecido", reclamou.

Leia também:
Náutico é atropelado pelo Central e cai para quarto lugar

Embora não tenha aliviado na hora do sermão, o treinador fez algumas ressalvas. Protestou contra a sequência de jogos em poucos dias e chamou a atenção para a dificuldade dos Campeonatos Estaduais. "Essa pré-temporada curta, com essa sequência de jogos, você está sujeito a perder jogos. O Náutico não ia ser invicto na temporada não", destacou.

"Há a ansiedade de o time jogar bem, ser líder, mas isso não é exclusivo do Náutico. Ontem, o Cruzeiro pegou a Caldense e só (o salário de) Fred paga o ano da Caldense e o jogo foi 0x0. O resultado, a derrota, pode acontecer, mas não da forma como ele foi. Analiso o desempenho, não somente o resultado. Como equipe faltou atitude, uma postura em campo diferente", alertou.

Veja também

Filho de Victor Rangel recebe alta da UTI
Futebol

Filho de Victor Rangel recebe alta da UTI

Executivo de futebol explica modelo de trabalho que será montado no Náutico
Futebol

Executivo de futebol explica modelo de trabalho que será montado no Náutico