Rússia e Fifa vão investigar racismo contra franceses

Pogba e Dembelé teriam sido vítimas de ataques no amistoso vencido pela França contra a Rússia por 3x1 na terça-feira (27) em São Petersburgo

Pogba é um dos dois jogadores envolvidos na polêmicaPogba é um dos dois jogadores envolvidos na polêmica - Foto: Divulgação

A União Russa de Futebol e a Fifa abriram uma investigação para apurar se houve de fato cânticos racistas contra Pogba e Dembelé no amistoso vencido pela França contra a Rússia por 3x1 na terça-feira (27) em São Petersburgo.

De acordo com a agência de notícias AFP e o jornal L'Equipe, os dois atletas ouviram imitações de macaco quando foram bater escanteios.

Leia também:
Caso de racismo denunciado por Balotelli é arquivado
Assessor de clube russo é punido por racismo contra brasileiros
Spartak é acusado de racismo após 'brincar' com brasileiros
Novos gritos racistas preocupam para a Copa

Um fotógrafo da agência, inclusive, relatou que viu torcedores fazendo os sons.

A União Russa pretende ouvir seguranças presentes no estádio, além de analisar imagens e áudios para verificar o incidente e tentar identificar os responsáveis.

"Começamos a investigação e todos os itens serão checados com cuidado. Assim que tivermos s resultados divulgaremos e tomaremos as medidas apropriadas contra os responsáveis caso eles sejam identificados", afirmou à agência Tass Alexei Smertin, inspetor anti-discriminação da União Russa de Futebol.

Mais cedo, a ministra dos Esportes da França, Laura Flessel, havia cobrado uma posição da Rússia e da Fifa sobre o episódio.

"A Fifa está buscando relatórios e potenciais evidências referentes ao incidente discriminatório reportado pela mídia. Até avaliarmos toda a informação disponível, não comentaremos o caso", disse a entidade máxima por meio de nota.

Cânticos racistas não são novidades no futebol russo.

No ano passado, na final da Supercopa da Rússia, o goleiro brasileiro naturalizado russo Guilherme Marinato foi ofendido por torcedores do Spartak de Moscou. Eles questionavam sua escolha para a seleção.

"Banana, banana mama. Por que diabos a seleção russa precisa de um macaco?"
Também em 2017 em jogo entre Spartak e Liverpool, houve cantos contra Mané e Sturridge, da equipe inglesa.

Ainda no ano passado, Leonid Mironov, da equipe juvenil do Spartak, foi investigado por supostas ofensas e gestos racistas contra Rhian Brewster, do Liverpool. Nada ficou provado, e ele acabou absolvido pela Uefa.

Na sexta-feira (23), o Brasil jogou em moscou contra a Rússia e nenhum caso de racismo foi verificado contra jogadores da seleção.

Na Copa do Mundo, árbitros terão o poder de parar o jogo caso haja cânticos racistas ou homofóbicos.

O combate à discriminação é uma das principais bandeiras da Fifa.

No ano passado, na Copa das Confederações, antes de cada partida havia anúncios para os torcedores respeitarem os atletas em campo.

Veja também

Náutico contrata volante Antonio Bustamante
Futebol

Náutico contrata volante Antonio Bustamante

Na Arena, Sport perde para o Flu e amarga quinta derrota seguida
Brasileiro sub-20

Na Arena, Sport perde para o Flu e amarga quinta derrota seguida