Campeonato Pernambucano

Santa Cruz e Salgueiro definem novo campeão estadual nesta quarta

Times entram em campo a partir das 21h30, no Estádio do Arruda

Times ficaram no 1x1 no primeiro confronto e, caso haja novo empate, decisão será nos pênaltisTimes ficaram no 1x1 no primeiro confronto e, caso haja novo empate, decisão será nos pênaltis - Foto: Marlon Costa/FuturaPress/FolhaPress

Chegou o dia de cruzar os dedos, entrelaçar as mãos, olhar aos céus - ou às paredes, em tempos de isolamento social por conta da pandemia do novo coronavírus - e pedir por um gol. Mais até, se possível, já que esse momento é o ápice do futebol. Às 21h30 desta quarta-feira (5), Santa Cruz e Salgueiro entram em campo, no estádio do Arruda, para travar a batalha final do Campeonato Pernambucano 2020, em jogo que vale a taça da competição. Uma edição, é fato, bem diferente do “normal”, com meses de paralisação, arquibancadas sem torcida. Mas o esporte continua mexendo com as emoções como sempre. Como o primeiro confronto terminou em 1x1, em caso de novo empate a decisão será nos pênaltis. Do contrário, quem vencer terá como única preocupação correr para o abraço e soltar o grito de campeão da garganta. 

Longe de querer ser surpreendido em seus domínios, o Tricolor pode ser campeão invicto do Estadual pela segunda vez. Feito antes visto em 1932, quando o clube bateu o extinto Íris por 4x1, nos jogos de ida e volta, e conquistou, na época, o seu segundo troféu do Pernambucano. Para repetir a alcunha, após três anos sem sentir o gosto de um título estadual, a Cobra Coral terá sob os pés um amuleto da sorte: o Arruda. 

Arruda, sem público em jogo do Santa CruzEstádio do Arruda não receberá público, por causa da pandemia do novo coronavírus 

Não por acaso, o Tricolor não perde sob seus domínios, em estaduais, desde o dia 10 de abril de 2017, ocasião em que foi derrotado por 2x1 pelo Náutico. Mais de dois anos de invencibilidade que, certamente, aumentam a confiança do elenco comandado por Itamar Schülle para agarrar o 30° Pernambucano da história do clube. Em 2020, em um total de 11 jogos pelo campeonato, são cinco triunfos e um empate em casa. 

Considerando a solidez construída pelo elenco jogando no Arruda, desta vez, o time mexido às pressas para o primeiro jogo deve ser mantido, com William Alves e Danny Morais compondo a zaga; Fabiano e Toty nas laterais; André e Paulinho tomando à frente na cabeça de área, e Didira no meio de campo. Derlis Alegre deve jogar aberto na ponta, compondo o trio ofensivo com Pipico e Victor Rangel. O lateral-esquerdo Chiquinho, em processo de transição após se recuperar de lesão na panturrilha esquerda, não treinou com o grupo durante a semana e não deve ser opção para a decisão. 

Salgueiro
Assim como nas duas outras oportunidades em que chegou à final do Estadual - em 2015, contra o Santa Cruz, e em 2017, contra o Sport -, o Salgueiro abriu a decisão desta temporada jogando em casa, mas não conseguiu transformar isso em vantagem. Mais uma vez, apenas empatou no Cornélio de Barros. Apesar de o histórico não ser favorável, já em ambas as ocasiões anteriores o Carcará acabou derrotado na Capital, o time sertanejo segue confiante de que o desfecho, agora, será diferente.

Para isso, conta com algumas peças que podem dar um gás a mais na busca pelo inédito título do Pernambucano. O técnico português Daniel Neri tem algumas cartas na manga em seu plantel para esse jogo decisivo. Buscando surpreender, ele mexeu na equipe que vinha atuando anteriormente para a partida de ida da final. Muller Fernandes, artilheiro do time com quatro gols, tinha sido reserva na semifinal do Estadual, mas ganhou a posição entre os 11 iniciais e mandou Tarcísio para o banco. A alteração deixou o Carcará mais disposto ofensivamente, em um 4-4-2 com Ciel e Fernandes no ataque.  

As possibilidades de mexer na formação criam certa expectativa por possíveis novidades nesta noite, apesar de a probabilidade maior ser pela manutenção da espinha dorsal lançada no jogo de ida. Ciel e Muller Fernandes, inclusive, aparecem como pilares da equipe, ao lado do zagueiro Ranieri e do volante Bruno Sena. 

Do extremo Sertão à Capital, o fato é que Pernambuco amanhecerá nesta quinta-feira (6) com a certeza com novos capítulos escritos na história do futebol estadual. 

Ficha técnica

Santa Cruz
Maycon Cleiton; Toty, Danny Morais, William Alves e Fabiano; André, Paulinho e Didira; Derlis Alegre (Jeremias), Pipico e Victor Rangel. Técnico: Itamar Schülle

Salgueiro
César Tanaka; Sinho, Ranieri, Arthur e Daniel Rodrigues; Bruno Sena, Willian Daltro e Renato; Alison, Ciel e Muller Fernandes (Tarcisio). Técnico: Daniel Neri

Local: Estádio do Arruda (Recife/PE)
Horário: 21h30
Árbitro: Diego Fernando.  
Assistentes: Clóvis Amaral e Bruno Vieira
Transmissão: TV Globo e Premiere

Veja também

Martelotte destaca ponto 'importante', mas admite erros de finalização
Santa Cruz

Martelotte destaca ponto 'importante', mas admite erros de finalização

Em jogo disputado, Manaus e Santa empatam sem gols
Santa Cruz

Em jogo disputado, Manaus e Santa empatam sem gols