Futebol

Vaga na semifinal do Estadual e na Série D 2025: veja o que está em jogo entre Santa x Central

Caso seja eliminado para a Patativa, o Tricolor terá o maior hiato sem partidas de sua história; se vencer, pega o Sport na semifinal

Torcida do Santa Cruz, no ArrudaTorcida do Santa Cruz, no Arruda - Foto: Evelyn Victoria/Santa Cruz

"O Santa Cruz nasceu e vai viver eternamente". A frase de Alexandre Carvalho, um dos fundadores do clube, é um mantra de dedicação incondicional de um tempo em que o clube lutava para não ser extinto. Mais de um século depois desde a fundação, em 1914, há nessas palavras uma leve semelhança no sentimento de resistência. No ano em que passa pelo seu pior momento na história, tudo ganha tons superlativos. Até mesmo a expectativa de público, que ganhou um reforço importante com a liberação dada pela Polícia Militar para o clube comercializar mais ingressos para a área da arquibancada superior. Mais de 45 mil tricolores poderão marcar presença neste sábado (2), no Arruda, contra o Central, pelas quartas de final do Campeonato Pernambucano. Um dia em que a Cobra Coral joga não somente por um lugar na semifinal. Joga por um 2025 mais extenso, com um calendário nacional. Por um futuro que faça jus ao lema de sua criação.

Caso seja eliminado para o Central, o Santa terá o maior hiato sem partidas de sua história - a não ser que o clube consiga de última hora alguma vaga na Série D 2024. Porém, no cenário atual, só voltaria a jogar em janeiro de 2025. O que daria mais de 300 dias sem pisar em campo. Se vencer a Patativa, porém, o Tricolor estará automaticamente na quarta divisão do ano seguinte. No Estadual, o próximo passo será pegar o Sport nas semifinais. 

Até o momento, o maior tempo sem jogos do clube na história foi do dia 23 de julho de 2023, data em que perdeu por 1x0 para o Iguatu, no Morenão, pela Série D, até 7 de janeiro de 2024, quando ficou no 2x2 perante o Altos-PI, no Lindolfo Monteiro, pela pré-Copa do Nordeste. Ao todo, passaram-se 168 dias.

Sobre o time, os atacantes João Diogo e Pedro Bortoluzo, que cumpriram suspensão automática no jogo passado, voltam ao ataque. A dupla pode ajudar o Santa a manter a escrita de não perder do Central há 13 anos. A última vez foi em 2011, por 3x0, no Arruda, pela primeira fase do Estadual.

A última vez que os clubes se encontraram em um mata-mata estadual foi em 2015, na semifinal. Na ida, o Santa ganhou por 4x0. Na volta, a Cobra Coral venceu novamente a Patativa, por 2x0. Na final, ainda faturou o título perante o Salgueiro.

Em queda livre

Três empates e três derrotas. Nos últimos seis jogos, o Central não comemorou um triunfo sequer. Aliás, todas as vitórias da Patativa foram justamente nas três primeiras rodadas da competição, contra Afogados (4x1), Porto (3x2) e Flamengo de Arcoverde (3x2). A Patativa, comandada por Marcinho Guerreiro, precisa quebrar a sequência negativa para encontrar o Sport na semifinal.

Ficha técnica

Santa Cruz
William; Wellisson, Paulo Cesar, Rafael Pereira e Juan Tavares; Henrique Lordello, Lucas Siqueira e Matheus Melo; Thiaguinho, João Diogo e Pedro Bortoluzo | Técnico: Itamar Schulle 

Central
Chapa; Pedro Gustavo, Doni, Wisney, Henrique e Allan Pires; Edy, Moacir e Murilo Rangel; Erivelton e Pirambu | Técnico: Marcinho Guerreiro 

Local: Arruda (Recife/PE)
Horário: 16h30
Arbitragem: Deborah Cecilia Cruz Correia
Assistentes: Francisco Chaves Bezerra Junior e Karla Renata Cavalcanti de Santana
Transmissão: Globo

Veja também

Torcida faz festa no Ibirapuera, mas Bia Haddad abre duelo com Alemanha com derrota
Tênis

Torcida faz festa no Ibirapuera, mas Bia Haddad abre duelo com Alemanha com derrota

CBF desmembra tabela e Náutico conhece datas e horários de oito primeiros jogos da Série C; confira
Náutico

CBF desmembra tabela e Náutico conhece datas e horários de oito primeiros jogos da Série C; confira

Newsletter